Secretário da Cultura brasileiro cita Goebbels, ministro de Hitler, numa mensagem ao país

Com um ar duro, e as pálpebras franzidas, Roberto Alvim proferiu um discurso de apologia à arte brasileira com um vincado pendor nacionalista.
2 minutos de leitura
Post Author
  • O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Numa sala austera, com pouca decoração, onde salta à vista uma cruz do lado direito, a bandeira brasileira do esquerdo e um retrato de Bolsonaro sobre a cabeça do interlocutor. Foi neste cenário que Roberto Alvim, Secretário Especial da Cultura do Governo brasileiro fez uma declaração ao país que está a gerar duras críticas.

https://twitter.com/CulturaGovBr/status/1217941233412321286

Com um ar duro, e as pálpebras franzidas, Roberto Alvim proferiu um discurso de apologia à arte brasileira com um vincado pendor nacionalista; o tom das suas afirmações atingiu o ponto mais baixo numa citação de Joseph Goebbels, o ministro da propaganda de Hitler.

Entre as várias afirmações de Roberto Alvim, é possível perceber a toada do seu discurso, mas foi na frase “a arte brasileira da próxima década será heróica e será nacional” que o seu enquadramento se tornou claro. O Secretário da Cultura do Governo de Bolsonaro apelou a uma estética da maioria – uma ideia que vai, tacitamente, contra a ideia da arte enquanto expressão cultural das diversas minorias e individualidades, mas tem sido comum no Governo brasileiro em posse.

“Arte que cria a sua própria qualidade a partir da nacionalidade plena”

“Almejamos uma nova arte nacional, capaz de encarnar simbolicamente os anseios desta maioria da população brasileira”

O vídeo, publicado no Twitter, tinha como intenção anunciar o Prémio Nacional das Artes e as diversas categorias que, pelo que se percebe pelo enquadramento, privilegiará obras de arte que sigam os trâmites definidos pela Secretaria promotora deste vídeo.

Partilha nas redes sociais:
Post Author
  • O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Sugestões de Leitura

Estamos a criar uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura.

Uma revista criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Queremos fazer do Shifter um espaço de publicação para pensamento colectivo e comunitário, aberto a sugestões e diálogos. Um ponto de encontro entre diferentes actores da sociedade, da academia ao activismo, da cultura à política.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt