Labanta Braço: artistas negros unem-se contra o racismo com o selo do Rimas e Batidas e do Raptiliário

Labanta Braço contra o racismo
Capa com ilustração de Diogo Carvalho e design de João Bettencourt

Labanta Braço: artistas negros unem-se contra o racismo com o selo do Rimas e Batidas e do Raptiliário

Cachupa Psicadélica, Dotorado Pro, Nástio Mosquito, Nel'Assassin, Nigga Fox ou Slow J são alguns dos artistas que se juntaram contra o racismo.

Num ano marcado por ações racistas e desrespeito pelos direitos humanos (com mediatismo e sob a luz das câmaras) deste e do outro lado do oceano, somos obrigados a refletir mais sobre o tratamento que a comunidade negra recebe de instituições e pessoas que deviam estar mais preocupadas em protegê-la do que em marginalizá-la. A plataforma Rimas e Batidas e o programa de rádio Raptilário lançam assim Labanta Braço, uma compilação instrumental solidária criada por artistas negros, unidos por uma causa que é de todos nós. Por George Floyd, por Bruno Candé Marques, por todas as vítimas do racismo e da opressão social. Pela mudança, paz e justiça.

Os artistas que participam em Lebanta Braço são Alexandre Francisco Diaphra, Ângela Polícia, Arekkusu, Bambino, Blaeckfull, Cachupa Psicadélica, Danykas DJ, Deejay Télio, DJ ADAMM, DJ Lycox, DJ Marfox, DJ Núcleo, DJ Satelite, Dotorado Pro, El Conductor, FRXH, herlander, Jackpot BCV, Juzicy, Kilú, Macaia, Mizzy Miles, Nástio Mosquito, Nel’Assassin, Nelsoniq, Nídia, Nigga Fox, Nzhinga, oseias., PHOEBE, prétu, rkeat, Wake Up Sleep, Slow J, Studio Bros, Tóy Tóy T-Rex and Young Max.

Para os organizadores, esta é a banda sonora de uma revolução social, um grito a favor da igualdade e a uma só voz — mesmo que encontremos por aqui artistas de géneros, idades, passados e contextos tão diferentes.

Nesta primeira fase, a compilação promovida pelo Rimas e Batidas e pelo Raptilário está disponível exclusivamente no Bandcamp. É possível ouvir gratuitamente as 37 faixas que compõem esta compilação inédita, mas basta 1 euro para adquirir o formato digital e todas as receitas angariadas irão ser doadas à associação SOS Racismo. A organização vai depois desafiar várias marcas a igualar o valor angariado até ao final do Bandcamp Friday de Setembro, que se assinala no dia 4, e o valor desta matching campaign será dividido em partes iguais pelos criadores que fizeram beats para a compilação e pela instituição escolhida.

Se chegaste até ao fim, esta mensagem é para ti

Num ambiente mediático que, por vezes, é demasiado rápido e confuso, o Shifter é uma publicação diferente e que se atreve a ir mais devagar, incentivando a reflexões profundas sobre o mundo à nossa volta.

Contudo, manter uma projecto como este exige recursos significativos. E actualmente as subscrições cobrem apenas uma pequena parte dos custos. Portanto, se gostaste do artigo que acabaste de ler, considera subscrever.

Ajuda-nos a continuar a promover o pensamento crítico e a expandir horizontes. Subscreve o Shifter e contribui para uma visão mais ampla e informada do mundo.

Índice

  • Shifter

    O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Subscreve a newsletter e acompanha o que publicamos.

Eu concordo com os Termos & Condições *

Apoia o jornalismo e a reflexão a partir de 2€ e ajuda-nos a manter livres de publicidade e paywall.

Preenche as informações abaixo para garantires a tua presença no Workshop sobre I.A. e podermos adequar os conteúdos ao público presente.

No decorrer desta atividade, poderão ser captadas imagens e som para divulgação pela CML, entidade parceira ou promotora, nos respetivos meios de comunicação, como redes sociais e sites institucionais.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt