Telemóvel de Bezos alegadamente atacado através de vídeo enviado por príncipe saudita

O telemóvel de um dos homens mais ricos do mundo, Jeff Bezos, terá sido invadido, aponta uma investigação forense encomendada pelo chefe da Amazon.
1 minuto
Post Author
  • O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Imagem via Shifter

Uma investigação forense aponta para a possibilidade do telemóvel de um dos homens mais ricos do mundo, Jeff Bezos, ter sido invadido. Mais curioso ainda é que, segundo a mesma investigação, há um grau de confiança relevante de que esse comprometimento de segurança poderá ter surgido após a recepção de um vídeo enviado pelo príncipe saudita Mohammed bin Salman (MBS).

O ataque terá acontecido algures em Maio de 2018 e, segundo a investigação forense, encomendada pelo chefe da Amazon, foi detectada uma coincidência temporal entre a recepção de um vídeo enviado por WhatsApp pelo príncipe saudita e uns comportamentos estranhos no telemóvel.

Segundo noticia o New York Times, o caso terá acontecido pouco tempo depois de Bezos – que para além de deter a Amazon, detém o jornal Washington Post, para onde escrevia Jamal Kashoggi – ter conhecido o príncipe na sua passagem pelos Estados Unidos da América e terem trocado números de telefone. Na mesma visita, MBS terá conhecido também outros altos nomes das tecnológicas como Larry Page e Sergey Brin da Google, Tim Cook da Apple e Peter Thiel da Palantir Technologies.

Em reacção à notícia, a Embaixada da Arábia Saudita nos Estados Unidos emitiu um tweet no qual considerou as alegações absurdas e pediu que se abrisse uma investigação séria às afirmações.

Partilha nas redes sociais:
Post Author
  • O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Sugestões de Leitura

Estamos a criar uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura.

Uma revista criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Queremos fazer do Shifter um espaço de publicação para pensamento colectivo e comunitário, aberto a sugestões e diálogos. Um ponto de encontro entre diferentes actores da sociedade, da academia ao activismo, da cultura à política.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt