Procurar

Chelsea Manning presa depois de audição mistério

Chelsea Manning no SXSW (foto de Jon Currie via SXSW)

Chelsea Manning presa depois de audição mistério

A democracia precisa de quem pare para pensar.

Num ambiente mediático demasiado rápido e confuso, onde a reação imediata marca a ordem dos dias, o Shifter é uma publicação diferente. Se gostas do que fazemos subscreve a partir de 2€ e contribui para que tanto tu como quem não pode fazê-lo tenha acesso a conteúdo de qualidade e profundidade.

O teu contributo faz toda a diferença. Sabe mais aqui.

Segundo avança o New York Times, Manning terá recusado testemunhar no julgamento do editor da Wikileaks, Julian Assange, mesmo depois de lhe ser garantida imunidade.

As notícias de que Chelsea Manning poderia estar prestes a enfrentar a justiça norte-americana num processo meio misterioso começaram a correr na quinta-feira, hoje sabe-se que a whistleblower que serviu de fonte a algumas das revelações do Wikileaks teve ordem de prisão emitida pela juíza Claude Hilton. Em causa, estará a sua recusa em prestar declarações numa audição perante um júri secreto.

O caso está envolto em grande mistério, pelo que não se sabe com total certeza os contornos da história. Segundo avança o New York Times, Manning terá recusado testemunhar no julgamento do editor da Wikileaks, Julian Assange, mesmo depois de lhe ser garantida imunidade. Manning disse à imprensa norte-americana que na quarta-eira lhe tinham feito uma série de perguntas sobre Assange e o portal Wikileaks às quais recusou responder por uma questão de princípios e alegando que os seus direitos constitucionais seriam, se respondesse, violados.

Recorde-se que Chelsea Manning foi analista de inteligência militar dos Estados Unidos da América, tendo em 2010 – na altura, ainda Bradley Manning – fornecido ao portal liderado pelo australiano Julian Assange uma série de documentos e informações sobre, por exemplo, a prática de tortura por parte de militares norte-americanos no Iraque.

O julgamento de Assange tem sido um tema tratado em segredo pelas https://staging2.shifter.pt/wp-content/uploads/2021/02/e03c1f45-47ae-3e75-8ad9-75c08c1d37ee.jpgistrações norte-americanas, quer de Obama quer de Trump, sendo este um dos primeiros efeitos colaterais e públicos do seu decurso. Manning revelou recusar testemunhar em nome de todos os activistas e dos riscos que estes correm. garantindo que prefere manter-se fiel aos seus princípios.

A sua advogada, Meltzer-Cohen, também já comentou a sua detenção, dizendo que não era totalmente imprevisível que isto viesse a acontecer e sublinhando a coragem que reconhece na sua cliente.

https://shifter.sapo.pt/2017/01/chelsea-manning-clemencia/

Índice

  • Shifter

    O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Subscreve a newsletter e acompanha o que publicamos.

Eu concordo com os Termos & Condições *

Apoia o jornalismo e a reflexão a partir de 2€ e ajuda-nos a manter livres de publicidade e paywall.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt