Anúncio irónico questiona poderio da Google

“Somos obrigados a pagar se queremos ser encontrados.”

Quando o motor de busca mais popular da internet mostra, antes dos resultados orgânicos, quatro anúncios patrocinados que ofuscam um determinado produto ou serviço, não é uma situação justa para esse negócio. Este terá sido o caso com que Jason Fried, CEO do Basecamp, se deparou, e que levou a empresa a fazer um anúncio reaccionário.

O Basecamp é uma plataforma que, tal como o Slack, promete eliminar o e-mail do contexto laboral, sendo que, ao contrário do Slack, serve para mais coisas além de conversar. Ao googlar “Basecamp” – afirma Jason Fried –, os internautas iriam encontrar quatro anúncios pagos antes de qualquer resultado sobre o seu produto.

“Somos obrigados a pagar se queremos ser encontrados”, escreveu o executivo no Twitter. “É um abalo. É um suborno.” Em resposta a esta situação, o Basecamp decidiu publicar um anúncio irónico no Google – “Não queríamos correr este anúncio”, lê-se, segundo a imagem partilhada por Jason.

Nas respostas ao tweet de Jason, alguns empreendedores e artistas falam na vantagem que o Basecamp ainda tem por conseguir sequer pagar um anúncio, algo que não é possível para quem está a começar um negócio ou para muitos criadores independentes.

https://twitter.com/Moe_NYC/status/1168991298847723520

https://twitter.com/reckless/status/1169225064329469952

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Jornalista, adepto de cidades humanas e curioso por ideias que melhorem o país. Co-fundei o Shifter em 2013, sou desde 2020 coordenador do projecto editorial Lisboa Para Pessoas.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Ainda em testes

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt