A odisseia começou, Flatbush Zombies lançam ‘3001: A Laced Odyssey’

A odisseia começou, Flatbush Zombies lançam ‘3001: A Laced Odyssey’

O primeiro álbum de estúdio foi lançado esta noite.

Foi esta noite lançado o primeiro álbum de estúdio dos Flatbush Zombies, 3001: A Laced Odyssey.

O trio proveniente de Brooklyn, Nova Iorque, constituído por Meechy Darko, Zombie Juice e Erick “The Architect” Elliott, começou por dar os primeiros passos em 2012, através do lançamento da mixtape D.R.U.G.S. De seguida chegou a mixtape Better Off Dead, que trouxe consigo o reconhecimento e consagração definitiva deste grupo, 1/3 do Movimento Beast Coast.

No ano passado, após terminarem a Tour como Clockwork Indigo (Flatbush Zombies & The Underachievers), começaram as preparações para esta odisseia. “Apadrinhada” por Stanley Kubrick, mas realizada pelos Zombies, traz consigo o universo da experiência sob efeito de drogas, principalmente em relação ao LSD e à erva, num constante overthinking sob questões mais introspectivas, relacionadas com o seu background, tanto pessoal como colectivo.

A química que este trio reúne é um dos factos que mais tem contribuído para a ascensão deste grupo, e enquanto observamos o amadurecimento destes artistas, é também nas suas diferenças que percepcionamos as suas maiores potencialidades, seja no smooth flow de Erick, no tom grave e carismático de Meech ou no fast flow de Juice.

A produção – como não poderia deixar de ser – ficou mais uma vez a cargo de Erick The Architect, não procuraram hits pré fabricados através de featurings, e as colaborações foram escolhidas a dedo, com Anthony Flammia e Diamante, presentes nas faixas “A Spike Lee Joint” e “Good Grief”, respectivamente.

Durante a noite foi também lançado o single “This is It”. Trata-se de um regresso às origens, pela mão do Phillip T. Annand, spiritual advisor e um dos principais impulsionadores deste colectivo, que volta assim a dirigir um vídeo do grupo.

O album encontra-se à venda aqui, e está disponível no Spotify.

Se chegaste até ao fim, esta mensagem é para ti

Num ambiente mediático que, por vezes, é demasiado rápido e confuso, o Shifter é uma publicação diferente e que se atreve a ir mais devagar, incentivando a reflexões profundas sobre o mundo à nossa volta.

Contudo, manter uma projecto como este exige recursos significativos. E actualmente as subscrições cobrem apenas uma pequena parte dos custos. Portanto, se gostaste do artigo que acabaste de ler, considera subscrever.

Ajuda-nos a continuar a promover o pensamento crítico e a expandir horizontes. Subscreve o Shifter e contribui para uma visão mais ampla e informada do mundo.

Índice

Subscreve a newsletter e acompanha o que publicamos.

Eu concordo com os Termos & Condições *

Apoia o jornalismo e a reflexão a partir de 2€ e ajuda-nos a manter livres de publicidade e paywall.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt