Procurar
Close this search box.

Inteligência Artificial e a Transformação do Mercado de Trabalho: Desafios, riscos e oportunidades

Lisboa

“Os rápidos avanços no desenvolvimento e na adoção de tecnologias de Inteligência Artificial (IA) proporcionam novas oportunidades, mas também suscitam receios quanto a transições disruptivas no mercado de trabalho e no local de trabalho. De acordo com o Fórum Económico Mundial, prevê-se que, até 2025, a IA automatize 75 milhões de empregos a nível mundial, criando 133 milhões de novos empregos no seu lugar.

A automatização dos empregos existentes e a aceleração das tecnologias avançadas podem agravar a desigualdade,resultando no chamado “fosso digital” entre regiões,indústrias e grupos de trabalhadores. Em junho de 2019, o governo português apresentou a estratégia nacional IA Portugal 2030 para definir os desafios e as oportunidades do crescente ecossistema de IA em Portugal. Portugal tem um mercado de trabalho dual, em que uma grande parte dos trabalhadores – os jovens, em particular – está empregada com contratos temporários e, por conseguinte, enfrenta uma maior insegurança no emprego, uma menor qualidade do emprego e menos oportunidades de educação e formação. De facto, o Índice de Economia e Sociedade Digital (DESI) revela que 26%da população portuguesa em 2019 não possuía competências digitais (9% no conjunto da UE) e que 52% tinha apenas competências digitais básicas (58% em média na UE)

Moldar o nosso futuro digital também se tornou uma prioridade da UE: em junho de 2023, o Parlamento Europeu aprovou a Lei da Inteligência Artificial (a “Lei da IA da UE”), a primeira lei abrangente sobre IA do mundo e, sem dúvida, um marco importante para abordar as questões complexas que surgem com a utilização da IA. Neste contexto, o documentário de Aldo Montesano, “AI and the Future of Employment”, apresenta uma secção transversal da opinião pública sobre a IA. Convidamo-lo a participar no debate com ele e outros especialistas: Como é que a IA vai moldar o futuro do trabalho?”

Este é o mote para o debate com a moderação do Director do Shifter, João Gabriel Ribeiro, e a participação de Aldo Montesano, Realizador do documentário; Nuno Boavida, Sociólogo e Investigador no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Universidade Nova de Lisboa (CICS.NOVA); António Dias Martins, Director Executivo de Startup Portugal

A Friedrich-Ebert-Stiftung (FES) é uma fundação alemã sem fins lucrativos, financiada pelo Governo da República Federal da Alemanha e com sede em Bona e Berlim.

O evento decorrerá em português com tradução simultânea para inglês. A entrada é gratuita mas sujeita a registo no site do evento, aqui.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt