Intemporais

P de Plágio. Notas sobre autoria e autoridade

Neste ensaio pretende-se problematizar o tema da autoria, em particular, questionar a sua natureza intemporal e definitiva. Uma intenção porventura pretensiosa, mas que não é mais do que uma tentativa de dissecar uma questão sem encará-la como um obstáculo a superar.

Corpos e geografias da criminalidade nos Relatórios Anuais de Segurança Interna

O RASI é anualmente publicado pelo Governo para escrutínio público e parlamentar do trabalho das autoridades policiais nacionais. Nas suas páginas, apresenta-se um balanço da criminalidade nacional e identificam-se as principais ameaças à segurança interna. As populações dos “bairros degradados”, “bairros problemáticos” e, actualmente, “Zonas Urbanas Sensíveis” (ZUS), são um dos focos principais destes relatórios desde a sua origem.

Silvio Lorusso: “Não existe nenhuma atividade completamente não-produtiva”

Onde começa o trabalho e acaba o lazer? E o que ganhamos ou perdemos nesta difusão? Silvio Lorusso, artista, escritor e designer, doutorado em Ciências do Design, e com uma ligação recente a Portugal onde é vice-director do Center for Other Worlds da Universidade Lusófona de Lisboa, reflecte sobre tudo isto tendo como ponto de partida intersecção entre o tecnológico e social e a sua visão enquanto designer.

Renaturalizar: guia para restaurar a Natureza

O conceito de “Renaturalizar” surgiu nos anos 1990 e, desde então, tem continuado a evoluir e a adaptar-se até aos dias de hoje. Hoje, visa restabelecer processos naturais, de modo que o ecossistema possa funcionar sem a necessidade intervenção do Homem.

Imagem de HCM

Uma década de conhecimento: uma conversa com Alexandra Elbakyan do Sci-Hub

Em Junho de 2020, contactei Alexandra Elbakyan para uma conversa extensa que cobre a revolução do Sci-Hub na ciência, práticas de arquivo copy-paste a favor da abolição dos direitos de autor, o Departamento de Justiça dos EUA, a propriedade privada de ciência, discriminação contra mulheres nas Tecnologias de Informação (TI), astrologia e o seu nexo com fluxos de informação, e as tentativas da Elsevier em bloquear o Sci-Hub a nível mundial.

Pedro Matos: “A arte é um instrumento contra a ‘ditadura do ausente'”

Na mais recente série de trabalhos de Pedro Matos, sobre fundos sólidos irrompem traços carregados de expressão que, ora mais abstractos, ora mais concretos, dificultam a cristalização de qualquer interpretação ou resposta. “Terão sido estas marcas intencionais? Recriadas?” Convidámos o pintor para uma pequena conversa de partilha e diálogo sobre esta visão.

O skate e o gozo da materialidade

A perda da materialidade e de capacidade de sermos sujeitos vão lado a lado num tempo em que o processo global nos interpreta, acima de tudo, como ruído.

Independente q.b. 

O que é, afinal, um órgão de comunicação social independente, como se legitima a sua reivindicação, como se comprova a sua validade? Existe uma escala, um critério, ou um formulário? O que têm em comum, por exemplo, o Fumaça e o Jornal Económico? E porque ambos reclamam, com as suas nuances, a mesma independência? 

Stayaway Covid: as tuas perguntas e respostas

A aplicação portuguesa de rastreio digital de Covid-19, a Stayaway Covid, já está disponível, tal como o seu código-fonte. É segura? Para que serve? Devo instalar?

Extinction Rebellion e a acção contra a extinção

Um pouco por todo o lado, no espaço público, vamos assistindo a uma crescente adesão a esta filosofia de desobediência civil não-violenta proclamada e incentivada pelo movimento e à emergência activista no combate à extinção. Mas afinal, quem são exactamente os Extinction Rebellion, pelo que lutam e o que fazem?

Na Escola Pública, porquê software privado?

A associação Free Software Foundation lançou recentemente uma petição capaz de nos pôr a pensar — em causa está a utilização de software proprietário num contexto que deve ser tendencialmente livre, o da educação. 

Porque é que andamos a ter sonhos estranhos ultimamente

As respostas são pouco concretas, mas parecem existir pelo menos três pontos comuns a praticamente toda a população mundial que poderão estar a influenciar este fenómeno: vivemos um momento de ansiedade global, alterámos de forma considerável as nossas rotinas, e quem está em isolamento em casa está provavelmente a dormir mais.

A minha viagem em busca do propósito do tédio: de Peter Toohey a Susan Sontag

Para mim, o tédio era mesmo entediante, só o bolsar da palavra “seca” soava a enfado, fazia-me contorcer de desprazer. Este cocktail de sentimentos nem sempre tem a mesma receita para todos, e perceber isso foi meio caminho andado. Há quem aprecie a inércia do tédio, há quem conviva com ele de forma saudável e o transforme em produtividade, nem sempre quem está aborrecido precisa de outro estímulo, há quem veja no aborrecimento o próprio estímulo.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt