No 4º Conversas Impróprias questionamos as fronteiras entre jornalismo e activismo

Junta-te à conversa já neste sábado, dia 24 de Outubro às 11 horas.
3 minutos de leitura

O ciclo online Conversas Impróprias acontece até ao final deste ano, onde mês após mês vamos colocar jornalistas a falar da sua área, dos problemas e claro, possíveis soluções. O próximo encontro, o quarto, está marcado já para este sábado, dia 24 de Outubro, como habitual às 11 horas no Palco Online Gerador. Falaremos sobre as fronteiras entre jornalismo e ativismo.

Conversas Impróprias #4

Depois de uma primeira conversa sobre cultura e investigação, outra sobre a questão do financiamento e dos direitos de autor, e outra sobre a diversidade nas redacções e tratamento de minorias no jornalismo, desta vez o tema é Ativismo e Jornalismo: há relação?.

Numa conversa, como foram as anteriores, descontraída e interessada, discutiremos a fronteira entre o jornalismo e o ativismo e a forma como um jornalista a pode ou não cruzar. Para o debate convidámos os colectivo media-ativista brasileiro com expansão além-fronteiras, Mídia Ninja, a revista nascida em Portugal e focada em trazer para o espaço público mais cultura, Bantumen, e ainda o jornal que é exemplo nacional pelo seu modelo colaborativo e cooperativo, o Jornal Mapa.

Para subir ao Palco Online Gerador, dia 24 de Outubro, juntamo-nos a Marisa Mendes Rodrigues (Bantumen), Oliver Kornblihtt (Mídia Ninja) e Francisco Colaço Pedro (Jornal Mapa), para uma conversa a quatro sobre as contingências, o limites, e o equilíbrio entre o papel do jornalista e do ativista.

A Marisa Mendes Rodrigues é licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona e pós-graduada em Jornalismo Multiplataforma pela Universidade Nova de Lisboa. Estagiou para algumas publicações do Grupo Impresa. Actualmente a colaborar com a Bantumen, trabalha também na área da comunicação.

Nascido em Buenos Aires, Argentina, e formado em História da Arte, o Oliver Kornblihtt é fotógrafo, editor e midiativista. Há sete anos ele deixou o emprego de fotojornalista na media empresarial do seu país para fazer parte do Fora do Eixo e da Mídia Ninja. Atualmente mora na Casa das Redes, em Brasília, onde atua como um dos editores de fotografia da Mídia Ninja (Ninja.Foto).

O Francisco Colaço Pedro é activista e jornalista freelance há 10 anos. De um lado faz parte do colectivo ATERRA, onde luta pela redução da aviação e por uma mobilidade justa e ecológica, e por outro escreve sobre esses temas no Jornal Mapa.

Como acompanhar o ciclo?

Poderás saber mais sobre o ciclo Conversas Impróprias no site do Gerador e no site do Shifter e nas redes sociais dos dois meios, onde vamos lançando a programação no arranque de cada mês.

Junta-te ao nosso grupo de WhatsApp e subscreve aqui o nosso boletim para receberes as novidades das Conversas Impróprias por e-mail.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Shifter depende de ti 

O Shifter faz jornalismo com as pessoas que dele querem fazer parte. Estamos a criar um espaço de publicação para pensamento colectivo e comunitário, aberto a sugestões e diálogos. Procuramos estabelecer pontes entre diferentes actores da sociedade, da academia ao activismo, da cultura à política.

Se puderes apoiar-nos nesta missão, subscreve a partir de 2€ por mês ou faz um donativo único:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt