Pub / Parceria

Um arquivo com mais de 200 filmes sul-coreanos ao teu dispôr

São mais de 200 filmes completamente gratuitos para visualização no YouTube e com legendas em inglês.
2 minutos de leitura

Okja foi provavelmente o primeiro filme desta última leva a chamar a atenção de novos públicos para o cinema coreano. Estreado na plataforma Netflix e badalado nos circuitos da crítica, acabou por se revelar como uma espécie de ensaio para o sucesso que seria — está a ser — o filme do mesmo realizador, Bong Joon-ho, Parasite.

Parasite arrecadou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e consolidou no importante certâme a ascensão do cinema oriental. Esta vitória levou a que este tipo de cinema fosse mais procurado e foi o The Guardian quem primeiro deu o alerta para o arquivo criado pela Korean Film Archive.

São mais de 200 filmes completamente gratuitos para visualização no YouTube e com legendas em inglês. Devido ao desconhecimento generalizado que reina sobre este cinema, é provável que não tenhas visto quase nenhum dos títulos na biblioteca e que à partida possam não te dizer nada. Contudo, se és geek de cinema e gostas de conhecer outras expressões; se viste o filme de Bong Joon-ho e ficaste com a cena dos filmes sul-coreanos ou simplesmente se não tens nada para ver e és aberto a novas experiências, este canal pode muito bem ser a tua descoberta do dia.

Este arquivo tem praticamente de tudo, desde os clássicos pós-guerra dos anos 1960 — alguns deles restaurados — até finais dos anos 90. Para além das legendas em inglês em grande parte dos títulos, alguns contam também com legendas em Francês e Italiano. No canal, para além das publicações podemos encontrar playlists com os mais vistos, dedicadas a alguns realizadores, entre outras.

Partilha nas redes sociais:
  • O Shifter é uma revista comunitária de pensamento interseccional. O Shifter é uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura, criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Sugestões de Leitura

Estamos a criar uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura.

Uma revista criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Queremos fazer do Shifter um espaço de publicação para pensamento colectivo e comunitário, aberto a sugestões e diálogos. Um ponto de encontro entre diferentes actores da sociedade, da academia ao activismo, da cultura à política.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt