Pub / Parceria

Bárbara Virgínia: a primeira realizadora portuguesa

Neste Dia da Mulher recordamos a primeira mulher a realizar um filme em Portugal em pleno Estado Novo.
1 minuto

A carreira da Bárbara Virgínia não poderia ter começado melhor. Em 1946, quando tinha apenas 22 anos, tornou-se a primeira mulher a realizar uma longa-metragem de ficção em Portugal e na primeira mulher a competir no recém-criado Festival de Cinema de Cannes.

O filme em questão chamava-se Três Dias Sem Deus e foi um dos primeiro exemplos do cinema de género feito em Portugal, muito diferente da comédia portuguesa que enchia as salas nacionais nos anos 40 do século XX.

O filme foi bem recebido, tanto em Portugal como em França e Bárbara Vírginia era tida como uma grande promessa do cinema nacional. Mas então, porque é que a Bárbara Virgínia não é mais conhecida em Portugal?

Neste vídeo fomos tentar saber mais sobre a vida e a obra da primeira realizadora portuguesa.

(Nota: este vídeo é da autoria de J.B. Martins e foi produzido para o canal de cinema Cineblog no YouTube, e é aqui partilhado com a devida autorização.)

Partilha nas redes sociais:
  • Canal de cinema a 24fps que não necessita de óculos 3D. O CINEBLOG nasceu como um blogue de cinema português em 2003, criado por J.B.Martins, mas deu recentemente o salto para o YouTube. É um projeto pessoal totalmente independente movido apenas pela paixão pelo cinema, que pretende pensar e refletir sobre a sétima arte.

Sugestões de Leitura

Estamos a criar uma revista de reflexão e crítica sobre tecnologia, sociedade e cultura.

Uma revista criada em comunidade e apoiada por quem a lê.

Queremos fazer do Shifter um espaço de publicação para pensamento colectivo e comunitário, aberto a sugestões e diálogos. Um ponto de encontro entre diferentes actores da sociedade, da academia ao activismo, da cultura à política.

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt