Jorge Gonçalves: “Não ter apoios económicos não é necessariamente mau”

Jorge é um dos fundadores e dinamizadores da Cooperativa Integral MINGA, que integra agricultores, artesãos, produtores e prestadores de serviços em Montemor-o-Novo.

Depois de concluir o doutoramento em Economia em Berlim, Jorge Gonçalves decidiu que ia compreender as dinâmicas e os processos reais e concretos que afectam o interior de Portugal.

“Não se pode ajudar, o desenvolvimento territorial não é ajudar”.

Jorge é um dos fundadores e dinamizadores da Cooperativa Integral MINGA, que integra agricultores, artesãos, produtores e prestadores de serviços em Montemor-o-Novo, e que pretende atacar os vícios e as dinâmicas de monopólio de mercado e de exclusão social que afectam os pequenos e médios produtores e que por inevitável consequência estrangulam as pequenas economias locais e rurais.

A lógica cooperativista apresenta soluções que se tornam difíceis de contrariar num projecto que ao fim de cinco anos teima em produzir conhecimento, alternativas, e novos desafios aos seus membros, com ideias e propostas que já chegaram à Assembleia da República.

Entrevista e vídeo de António Castelo

(Nota: este conteúdo foi originalmente publicado n’Qi News, produtora de conteúdos factuais focada numa população saturada de desinformação que busca activamente conteúdos fiáveis e de qualidade nas plataformas digitais, tendo sido aqui reproduzido com a devida autorização.)

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • A Qi News é uma produtora de conteúdos factuais focada numa população saturada de desinformação que busca activamente conteúdos fiáveis e de qualidade nas plataformas digitais.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt