Os 3 mais ricos do mundo são empresários do mundo tecnológico

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, aparece agora em terceiro lugar, numa lista que conta também com Bill Gates e Jeff Bezos.

mais ricos

Conhece-los muito bem. Na lista da Bloomberg dos mais ricos do mundo, Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, aparece em terceiro lugar, tendo destronado o magnata norte-americano Warren Buffett. À frente da Zuckerberg, estão Bill Gates (Microsoft) e Jeff Bezos (Amazon).

Em comum, os três mais ricos do mundo têm o facto de ter fundado grandes empresas de tecnologia. Jeff Bezos decidiu criar uma loja de livros online no final de 1993 e no ano seguinte fundava a Amazon, uma tecnológica que hoje oferece serviços de streaming de filmes e séries, vende colunas inteligentes e leitores de ebooks, e até tem mercearias. Bill Gates é hoje conhecido pela filantropia, mas em 1975 estava a fundar a Microsoft, empresa que deu ao mundo o PC, o Windows e o Office. Mais curta é (ainda?) a história do Facebook: arrancou em 2004 quando Mark Zuckerberg quis criar um site para ligar os seus colegas e estudantes da Universidade de Harvard; hoje é a maior rede social do mundo e uma empresa que une outras empresas, como Instagram e WhatsApp, e que também vende dispositivos de realidade virtual (Oculus) e está a tentar ligar as partes remotas do planeta ao mundo online (Internet.org).

Jeff Bezos tem uma fortuna estimada em 142 mil milhões de dólares, Bill Gates em 94,2 mil milhões e Mark Zuckerberg em 81,6 mil milhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index. Zuckerberg, de apenas 34 anos, tem mais 373 milhões que Warren Buffett, de 87 anos, presidente e CEO da Berkshire Hathaway. A Bloomberg refere que Buffett já foi o mais rico do mundo, mas perdeu esse estatuto desde que começou a apoiar causas de solidariedade social.

Este Bloomberg Billionaires Index, que resulta de uma análise diária, parece indicar a tecnologia como principal fonte de riqueza actual. Mark Zuckerberg na terceira posição surge meses depois do escândalo da Cambridge Analytica, que acedeu indevidamente a dados de 87 milhões de utilizadores da rede social sem o seu consentimento. A empresa de Zuckerberg disse que em Abril as vendas aumentaram quase 50% em relação ao ano anterior para 11,97 mil milhões.

De notar que nos primeiros 10 nomes dos Billionaires Index não surge qualquer mulher; Francoise Bettencourt Meyers, a herdeira da L’Oreal, detentora de 33% das acções da empresa surge imediatamente a seguir, em 11º do ranking.