Lidl anuncia fim dos produtos de plástico descartável

Uma medida boa, mas não inocente.

Lidl plástico

Em Agosto, a cadeia alemã Lidl vai começar a substituir os produtos de plástico descartável por equivalentes em materiais alternativos e recicláveis. Copos, pratos, palhinhas e talheres de plásticos deixarão, assim, de poder ser encontrados nas mais de 250 lojas Lidl existentes em Portugal. A medida, diz a empresa, insere-se numa estratégia mais ampla que tem vindo a ser adoptada.

“Com o descontinuar da venda de artigos em plástico descartável evitamos a utilização deste material e contribuímos, assim, para uma melhoria do nosso balanço em matéria de plásticos”, refere Bruno Pereira, responsável do Lidl Portugal, ao Diário de Notícias. À mesma fonte, a empresa explica que tem vindo a reduzir o plástico um pouco por toda a loja – não só as embalagens de cápsulas de café deixaram de ter um invólucro de plástico em cada cápsula, como houve reduções na quantidade de plástico de determinadas embalagens (como as dos frutos secos) ou a sua substituição total por papel/cartão. O Lidl diz também que, sempre que possível, procura disponibilizar artigos não embalados ou a granel.

O Lidl prevê reduzir em pelo menos 20% a utilização de plástico até 2025. “Este objectivo será alcançado através de medidas associadas às embalagens dos seus produtos de marca própria, que representa cerca de 80% dos produtos vendidos pelo Lidl Portugal, bem como as embalagens exteriores de produtos de marcas de fabricante”, explica a empresa em comunicado, referindo que tem “analisado, em parceria com os seus parceiros de negócio, as situações onde é possível abdicar do plástico”.

Só com a eliminação dos produtos de plástico descartável, o Lidl prevê uma poupança de cerca de 74 toneladas de plástico num ano. A empresa lembra ainda que, “desde Julho de 1995, data da entrada do Lidl no mercado português, foi introduzido o pagamento dos sacos de plástico”.

Para o Lidl, a eliminação do plástico é naturalmente um investimento de poupança, mas não deixa de ser uma medida ambiental que mais cadeias de supermercado poderão seguir. Até porque, recorde-se, no início deste ano, a Comissão Europeia definiu 2030 como data limite para acabar com as embalagens de plástico descartáveis no espaço europeu, substituindo-o por plástico reciclável ou por outras alternativas. Estima-se que os europeus gerem 25 milhões de toneladas de resíduos de plástico por ano.