Uma ferramenta para criar os sites mais pequenos do mundo

O Bitty permite criar sites na forma de URL.

Ferramentas como o Facebook ou o Twitter tornaram a publicação e distribuição de conteúdo tão aparentemente fácil e imediata que deixámos de escrever em blogues. Mas ao alimentarmos essas plataformas, em vez de um site nosso, estamos a alimentar os bolsos de meia dúzia de empresários e a centralização da internet em duas ou três empresas. Estamos, no fundo, a aceitar que aquilo que publicamos não nos pertence e a sujeitarmos-nos aos algoritmos e regras que X plataformas nos impõem.

Um antigo designer da Google e actual vice-presidente de design da Dropbox, Nicholas Jitkoff, criou uma ferramenta online, chamada Bitty, que permite criar um pequeno site, associar-lhe um link e rapidamente partilhá-lo. Os sites criados com o Bitty podem ser uma única página de texto em HTML simples para contar um poema ou uma página mais elaborada, com alguma formatação CSS e animações JS, que permitem por exemplo criar uma calculadora.

Os sites do Bitty não são compostos, como é habitual, por um index.html, uma folha de estilos e ficheiros JS, ou seja, não é preciso um servidor para o seu alojamento. Em vez disso, o conteúdo é comprimido através de um algoritmo e colocado no URL que depois partilhas. Isso significa que é o URL em si que contém o conteúdo do site e que, quando é inserido no browser, é descodificado.

Como o conteúdo depende do URL, estás condicionado depois pela plataforma onde queres partilhar esse URL. A maioria dos sites e apps suportam URLs com 2000 bytes (2 KB), mas alguns suportam mais – é o caso do Twitter, que permite 4000 bytes (4 KB) num link, pelo que o Bitty pode ser uma forma de estender o limite de 280 caracteres da rede social.

O Bitty é uma excelente ferramenta para a Internet descentralizada. Democratiza a criação de sites e a partilha de conteúdo, servindo tanto utilizadores que queiram só publicar um texto mais longo como aqueles que procurem desenvolver algo mais avançado. O projecto de Nicholas está disponível em código aberto no GitHub.