Quando se drena um rio em Amesterdão e tudo acaba online

Amesterdão drenou um rio e colocou tudo o que se encontrou online, organizado por ano. Há de tudo: desde brinquedos de Pokémon a canos, armas de fogo, ossos humanos...

Quando o Rio Amstel foi drenado e escavado para a construção de uma linha de metro, em Amesterdão, cerca de 700 mil objectos arqueológicos apareceram à superfície. Todos os achados foram fotografados e catalogados, estando agora disponíveis no site belowthesurface.amsterdam.

É raro os rios numa cidade serem explorados como relíquias arqueológicas, especialmente porque não é comum um rio no meio de uma cidade seja drenado a ponto de poder ser examinado. As escavações no Amstel, outrora uma artéria vital da cidade de Amesterdão, são uma excepção e originaram a descoberta de uma variedade de arte-factos no mínimo caricatos e indicadores da vida das pessoas– alguns deles partidos, outros intactos. Há de tudo: desde brinquedos de Pokémon a canos, armas de fogo, ossos humanos…

O site não serve apenas como catálogo estático dos objectos, organizados por ano, de 1300 aos dias de hoje. Os visitantes deste museu online podem descarregar uma lista de todos os itens em formato CSV, imprimir até 100 objectos em simultâneo e criar “montras”, isto é, imagens que combinam criativamente diferentes achados e que ficam publicadas online para que os outros possam ver.

O belowthesurface.amsterdam permite-te também saber mais sobre as escavações e explorar as vitrines que estão em exposição na estação de metro de Rokin. Os achados abrangem um vasto período de tempo, desde muito antes do surgimento da cidade até aos dias de hoje, pintando um quadro diverso do quotidiano de Amesterdão. “Cada achado é um momento congelado no tempo, ligando o passado e o presente. A imagem que pinta da sua época é extremamente detalhada e ao mesmo tempo aleatória, devido à possibilidade de objetos ou restos se afundarem no leito do rio e serem recuperados de lá. É isso que torna essa colecção arqueológica tão fascinante, tão poeticamente empolgante e abstrata ao mesmo tempo”, lê-se no site.

Uma nota para referir que o site mencionado neste artigo fica num endereço que termina em .amsterdam. Isto acontece porque Amesterdão tem um domínio próprio, que qualquer pessoa pode tentar ter no seu projecto.