Porto recebe 25 “pensadores livres” incluindo presidente da Liberlândia

O ​AnarchaPortugal vai realizar-se na Alfândega do Porto nos dias 19 e 20 de Julho. Há bilhetes para estudantes e start-ups a 99 euros.

presidente da Liberlândia

Brittany Kaiser, uma das denunciantes no caso Cambridge Analytica que envolveu o Facebook, e Vít Jedlička, presidente da Liberlândia, a mais jovem auto-proclamada nação da Europa, são apenas dois dos oradores do AnarchaPortugal, um colóquio para “pensadores livres” que se realiza já este mês no Porto. Este evento promete juntar na mesma sala diferentes áreas.

O ​AnarchaPortugal vai realizar-se na Alfândega do Porto nos dias 19 e 20 de Julho, e pretende ser um espaço de liberdade, onde se discutirão temas importantes para a sociedade e para o seu futuro, como criptomoedas, aprendizagem automática, bio hacking, permacultura​, etc. Estão convidados mais de 25 oradores, essencialmente pensadores livres e radicais que decidiram sair da matriz e que vão partilhar também aqui as suas histórias pessoais, mas também ideias sobre a construção de ecossistemas e comunidades regenerativas.

O ​evento espera atrair mais de 300 participantes – mais de metade internacionais –​, entre eles ​economistas, investidores, amantes de tecnologia, entusiastas de ​blockchain​, libertários, universitários, ambientalistas, empreendedores e empresários ligados ao universo das start-ups e da inovação. Os bilhetes custam entre 249 e 1499 euros, mas até 9 de Julho existe um número limitado de ingressos para estudantes e start-ups a 99 euros.

O ​AnarchaPortugal apresenta-se fora dos cânones tradicionais de uma conferência e pretende “unir corações e mentes através de diferentes perspectivas, de forma a promover a interacção e a troca de ideias entre os participantes e as diferentes empresas”, segundo a organização.

Muito mais que conversa

Para além das palestras, os participantes terão a possibilidade de participar nas ​festas noturnas,​ que decorrerão na Alfândega, na Praia da Luz e a bordo de um cruzeiro no Douro. Existirá ainda um momento de stand-up com a “cripto-comediante” Melissa Richelle, concertos de Nations of the Soul e de Parra for Cuva, e ainda as chamadas ​Decentralized Dance Parties,​ um conceito de festas “open-source” que se tem espalhado um pouco por todo o mundo.

O evento, que parece uma espécie de “Boom para intelectuais”, contará também com uma zona de relaxamento e instalações de arte. Todos os participantes terão a oportunidade de receber uma massagem pelos Blockchain Bodyworkers, bem como de participar em workshops de yoga, sessões de meditação, pintura com os dedos e terapia de som. Haverá ainda uma área dedicada à literatura, onde os participantes poderão recitar poemas ao som de música acústica.

Para mais detalhes sobre o AnarchaPortugal, consulta o site oficial.