Como comunicar só com os olhos quando tudo o resto não mexe

O Blink To Speak é apresentado como o primeiro guia de linguagem ocular. Destina-se a quem sofra de paralisia física. Uma ideia criativa que mereceu a atenção de Cannes.

Blink To Speak

Chama-se Blink To Speak e é apresentado como o primeiro guia para indivíduos que sofrem de paralisa e a única parte do corpo 100% funcional, através da qual conseguem comunicar com os outros, são os olhos. Este guia de linguagem ocular, desenhado pela agência de publicidade TBWA, conquistou um Grand Prix no festival de criatividade de Cannes, em França.

Este trabalho da TBWA é direccionado para todos aqueles que sofrem de paralisia parcial ou total, e pretende atenuar as barreiras de comunicação que essa condição impõem. O braço indiano da TBWA pensou, assim, numa nova forma de comunicar baseada no olhar e, assim, criou o primeiro guia mundial de linguagem ocular, que devolve a comunicação a indivíduos fisicamente paralisados mas com mentes ainda activas.

Blink to Speak é o nome deste guia e incluí 50 movimentos oculares que formulam uma linguagem visual bastante extensa e ampla. O modus operandi é simples: através de combinações básicas de movimentos oculares, conjugam-se mensagens fáceis e de especial interessa à comunicação do paciente. Para cada conjunto de movimentos, existem oito alfabetos oculares, que são fechar os olhos, piscar os dois olhos, piscar apenas um olho, rodear com os olhos e olhar para a esquerda, para a direita, para baixo e para cima.

 Desta forma, a partir de diferentes combinações dos movimentos já acima descritos, o paciente consegue responder às questões dos cuidadores ou familiares e até mesmo comunicar uma situação de urgência, como, por exemplo, solicitar um médico.

Ainda assim, apesar de todas as sequências já implementadas, os criadores deste manual perceberam ser graficamente impossível conceber movimentos que descrevessem tudo aquilo que nós comunicamos. Assim, no sentido de aumentar o número de palavras disponíveis, foi inserida uma página separada das restantes e que contém combinações secundárias associadas ao alfabeto de A a Z, para que se torne possível a formação de qualquer vocábulo.

Este guia de linguagem oftalmológica surge como uma alternativa aos dispositivos e softwares de comunicação assistida, que muitas vezes não estão disponíveis a todos tendo em conta os seus preços elevados. O Blink to Speak recebeu um “Lions Health Grand Prix For Good” em Cannes e está disponível de forma gratuita aqui.