Parece que toda a gente está a jogar Fortnite. Conheces o fenómeno?

Drake, Antoine Griezman, o teu vizinho ou até mesmo o teu pai... Parece que "toda a gente" joga Fortnite.

Fortnite isto, Fornite aquilo Viral como se de um “Despacito” se tratasse, é provável que já tenhas tropeçado em alguma informação ou conversa relacionada com o videojogo mais popular de 2018, contudo podes não estar a par do fenómeno na sua totalidade.

Capaz de raptar amigos e/ou namorados durante horas ou até mesmo dias a fio, é também um óptimo promotor de reencontros improváveis entre velhos conhecidos — uma espécie de Henrique Mendes dos videojogos. Jogadores das mais diversas plataformas encontram no Fortnite um bom meio termo para juntar a malta num jogo consensual e de fácil adaptação, do jogador mais n00b ao mais g33k.

Criado pela Epic Games em 2017, o Fortnite tem como principal atractivo um modo de jogo estilo “Hunger Games” que lhe tem valido atenção ímpar no universo dos videojogos. Porém este sucesso não era de todo expectável. Lançado em julho de 2015 — após seis anos de desenvolvimento — o videojogo chegou sem grande alarido e com particular foco no modo individual. Contudo o bem sucedido concorrente PlayerUnknown’s Battlegrounds, ditou um rumo diferente no mercado, inspirando o modo Battle Royale, o às de trunfo do plano de negócio da Epic Games.

O Fortnite, à semelhança da maioria dos seus primogénitos FPS’s, tem um modo de história, onde basicamente o objectivo é salvar o mundo, porém o que tem feito mais furor entre gamers — e não só — é o Battle Royale, o tal à la Hunger Games. Um modo multi-jogador onde 100 personagens saltam de avião numa ilha com o objectivo de se chegarem a ser o último sobrevivente, após uma épica batalha entre todos com tiros, construções e granadas. É possível jogar sozinho, através do modo solo, em duo, e em equipas de quatro.

“Toda a gente” joga Fortnite

O facto do Fortnite ser multiplataforma é uma forte razão para “toda a gente” poder jogar Fortnite. Contudo “toda a gente” começou a jogar devido à crescente popularização mediática em torno do jogo por parte de algumas celebridades. Futebol, NBA, NFL… o pessoal do desporto tem sido dos mais efusivos na demonstração de apreço — com preço ou sem preço (?) — ao Fortnite. Desde a simples partilha nas redes sociais à celebração de golos, como Antoine Griezman, são diversos os ícones do desporto a mostrar o seu vício ao grande público.

O universo musical também deu o seu contributo, e que contributo… O rapper Drake, foi porventura, a celebridade, que mais contribuiu para a acensão meteórica do Fortnite em 2018.

Através do Twitch, em conjunto com um dos melhores jogadores de Fortnite, chamado Ninja, Drake tem participado em algumas streams, uma das quais incluiu também o rapper Travis Scott. Quando Drake partilhou a stream no Twitter, Ninja atingiu o recorde de 630 mil pessoas a assistir em directo.

Segundo a revista “Forbes“, Ninja pode obter uma remuneração mensal de aproximadamente 450 mil euros, apenas com streaming de Fortnite.

Os números do sucesso

Segundo um relatório do site SuperData, durante o mês de março, Fornite Battle Royale foi o videojogo mais popular para consolas e o quinto mais jogado para PC, ultrapassando o rival PlayerUnknown’s Battlegrounds, que ocupa actualmente a sétima posição. Esta ascensão traduz-se num crescimento de 73% em relação ao mês anterior, representando um total de 223 milhões de dólares.

Fortnite está disponível também disponível para iOS. No mês de lançamento, lucrou mais de 25 milhões de dólares, tornando-se o app mais popular na App Store em 47 países diferentes nas primeiras 24 horas. Imaginem quando a febre chegar ao Android…

O lançamento de Fortnite na China também está para breve e a gigante Tencent já iniciou essa investida,  prometendo investir cerca de 15 milhões de dólares no promoção do jogo na região. Nos Estados Unidos já existem universidades a incluir o Fortnite em programas de bolsa de estudos no valor de 4000 mil dólares pensando nos eSports. Além do Fortnite, a Universidade de Ashland também distribui bolsas para Overwatch, League of Legends, CS:GO e Rocket League.

Se és daqueles jogadores cansados de levar a “equipa às costas” podes também pensar em vender os teus serviços. Através do site Bidvine podes ganhar uns bons trocos, simplesmente por seres companheiro de equipa de algum n00b ou preguiçoso com ambição e €€€€€ para contratações.

Fortine, o futuro

As hipóteses de novos modos de jogos e mais mapas são motivos de conversa entre jogadores mas também entre quem decide. “Temos conversado a respeito internamente”, afirmou Williamson explicou ao IGN EUA quando questionado sobre o possível lançamento de novos mapas. “Acabamos de lançar uma grande actualização e aprendemos bastante com este processo”. “Não há urgência em criar um novo mapa. Não é uma prioridade, já que actualizar o mapa e fazê-lo parecer novo deixa-nos muito animados. Continuem atentos, temos ideias interessantes” 

Em entrevista à Revista PlayStation, Eric Williamson, cabecilha da equipa de design, falou sobre a hipótese de aumentar o numero de jogadores por partida. “Um dos tópicos que temos conversado é se faz sentido considerar ter mais de 100 jogadores. Acho que há muitas considerações tecnológicas a serem feitas mas, pessoalmente, eu adoraria tentar. Não vejo isso acontecer num futuro próximo, mas porque não?”, explicou.

O Fortnite é gratuito e está disponível para PlayStation 4, Xbox One, PC, mac OS e iOS.