Facebook apresenta 10 novidades para rede social, Messenger e Instagram

Novidades vão ser lançadas gradualmente até ao final do ano.

A F8 é a conferência mais importante do ano para o Facebook, e o palco anual de anúncio de novos produtos aos quais os utilizadores vão ter acesso e de novas ferramentas que os programadores vão poder utilizar. No rescaldo dos Cambridge Analytica Files, o maior desafio do Facebook é definitivamente convencer ambos – utilizadores e programadores – a ficarem na sua plataforma.

Durante a keynote de abertura, Mark Zuckerberg, fundador e director executivo do Facebook, apresentou as principais novidades da rede social e também da sua família de apps – Messenger, Instagram e WhatsApp –, depois de descrever todas as acções que a empresa está a tomar para garantir que casos como o da Cambridge Analytica não voltam a acontecer e para que a privacidade dos utilizadores permaneça garantida. “Vamos continuar a criar ao mesmo tempo que nos concentramos em manter as pessoas seguras”, comentou Zuckerberg.

Here Together :60 Video

We’re committed to doing more to keep you safe and protect your privacy. So that we can all get back to what made Facebook good in the first place: friends. Because when this place does what it was built for, we all get a little closer.

Publicado por Facebook em Quarta-feira, 25 de Abril de 2018

1 – Grupos mais evidentes

Em breve, vais ter um novo separador na app do Facebook dedicado aos Grupos. Este separador permitirá navegar mais facilmente entre os grupos a que aderiste, bem como descobrir novos grupos com base nos teus gostos e tendências. O separador vai ter tanta importância como o das notificações, o do Watch ou o do Marketplace, por exemplo.

Zuckerberg revelou ainda um novo botão “Join Group” que vais poder integrar em sites externos ou no corpo de e-mails, de forma a aumentar as tuas comunidades em grupos.

2 – Watch Party: ver vídeos em conjunto

Os grupos de Facebook vão ter uma novidade chamada Watch Party. Já disponível em alguns grupos de Facebook, vais poder criar uma lista de reprodução com alguns vídeos para veres em conjunto com a comunidade. A funcionalidade é inspirada no Facebook Live, onde os vídeos são vistos e comentados por todos em tempo real e, provavelmente, na HouseParty, aplicação de que te falámos aquando do seu lançamento.

3 – Apagar histórico

O Facebook vai permitir apagar todo o histórico relacionado com sites e aplicações que usaste e que registaram informação na tua conta. Este “Clear History”, ferramenta lançada na sequência do escândalo Cambridge Analytica Files, vai permitir-te também desactivar a opção que faz com que o Facebook guarde este tipo de informação.

Numa publicação no seu Facebook, Mark Zuckerberg comparou esta funcionalidade à limpeza dos cookies do teu browser, salientando que depois de apagares o histórico do Facebook poderás ter de te iniciar sessão novamente nos sites e reconfigurar algumas coisas.

Today at our F8 conference I'm going to discuss a new privacy control we're building called "Clear History". In your…

Publicado por Mark Zuckerberg em Terça-feira, 1 de Maio de 2018

4 – Mais formas de partilhar nas Stories

As Stories vão ser o novo News Feed. Aliás, segundo Chris Cox, director de produto do Facebook, as Stories vão ultrapassar o News Feed como o sítio primário de partilha até ao final deste ano. A tecnológica apresentou na F8 novas formas de partilhar nas Stories.

A ideia é que quer mudes a tua foto de perfil, faças anos ou gostes de um vídeo que viste na web possas dizê-lo nas Stories. O Facebook vai não só expandir a utilidade das Stories dentro da sua plataforma, como para fora – e isto abrange também o Instagram. Por exemplo, se estiveres a ouvir uma música no Spotify, vais poder partilhá-la directamente numa Story sem ter de tirar um screenshot ou fazer uma gravação de ecrã; os teus seguidores vão poder ouvir a música clicando num botão que os leva directamente para ela a partir da Story.

Esta integração entre as Stories e serviços terceiros depende agora dos programadores e do que estes vão criar. Para já, o Facebook e Instagram contam com o Spotify e a GoPro do seu lado – no caso da GoPro, quando gravas com uma das suas câmaras, vais poder partilhar esse momento de forma directa numa Story ou enviá-lo a alguém por mensagem directa.

5 – Messenger mais simples e com modo escuro

Mark Zuckerberg anunciou um Messenger mais simples e rápido, promessa que David Marcus, responsável pelo serviço, já tinha afirmado no início deste 2018. A aplicação de chat do Facebook foi redesenhada para oferecer uma interface baseada em três botões: um para as conversas, outro para os contactos e outro para tudo o resto, incluindo os bots.

O primeiro ecrã mostrará as tuas conversas, bem como os contactos activos na aplicação. Terás ainda atalhos para a câmara, para escrever uma nova mensagem ou para fazer uma videochamada. Segundo David Marcus, o novo Messenger será lançado “muito, muito brevemente” e terá também um modo escuro, escreve o The Verge. O mesmo site partilhou também imagens das mudanças visuais que a app vai receber na janela das mensagens.

6 – Filtros de realidade aumentada no Messenger

O Messenger vai permitir às marcas criarem experiências de realidade aumentada nos seus bots. Imagina que estás a usar o Messenger para, através do bot da Sephora, escolheres um novo produto de maquilhagem. Uma coisa é ver imagens e uma descrição do produto, outro é poderes experimentá-lo. Graças à realidade aumentada, a Sephora vai poder criar filtros que te permitem ver como fica um determinado batom, por exemplo, na tua cara.

Este tipo de experiências de realidade aumentada podem ser úteis para ajudar o consumidor numa decisão ou simplesmente para tornar o processo de compra mais interactivo – quer seja explorando as diferentes cores de um novo smartphone ou as várias configurações de um carro. O Facebook diz que existem mais de 300 mil bots criados no Messenger, mais 100 mil que no ano passado.

7 – Feeds úteis durante calamidades

No ano passado, o Facebook relançou o Safety Check como Crisis Response, uma ferramenta para ajudar as comunidades em altura de calamidades, seja identificando-se como seguras para os seus amigos saberem que estão bem, seja procurando apoio através do Facebook.

Em breve, o Crisis Response terá uma nova funcionalidade: pessoas que foram afectadas por uma determinada crise – seja ela natural ou humana – poderão fazer publicações sobre esse incidente, prestando informações úteis à comunidade, avisando de que uma determinada estrada está cortada ou partilhando fotos ou vídeos.

8 – Videochamadas no Instagram

Os utilizadores do Instagram vão poder realizar videochamadas entre duas pessoas ou em grupo na aplicação. Para iniciar uma videochamada, basta clicar no botão respectivo que aparecerá no topo de uma mensagem no Direct. O Instagram permitirá apenas videochamadas e não simples chamadas de aúdio.

Além das videochamadas, o Instagram vai ganhar uma nova janela de Explore, onde poderás descobrir novo conteúdo sobre um determinado tópico.

9 – Comentários com botões de upvote/downvote no Facebook

Inspirado no sistema de upvote e downvote do Reddit, o Facebook vai introduzir esse sistema nos comentários públicos feitos na rede social. A ideia é que a comunidade possa fazer uma espécie de moderação dos comentários, destacando os melhores (upvote) e votando negativamente (downvote) nos piores – por exemplo, que não sejam construtivos ou correctos.

10 – Oculus Go por 219 dólares em 23 países

Por fim, Mark Zuckerberg anunciou o lançamento dos óculos de realidade virtual Oculus Go em 23 mercados, excluindo Portugal. Estes óculos, que em Espanha custam 219 euros, podem ser utilizados independentemente de um computador ou telemóvel, sendo, por isso, a forma mais fácil de entrar no mundo da realidade virtual.

Existe uma versão de 32 GB e outra de 64 GB. Os Oculus Go podem ser, assim, utilizados por quem não tenha um iPhone ou um telemóvel Android, nem um computador super potente. Tem um catálogo de apps e jogos próprios.