Carros não entram na Arrábida. Transporte público é alternativa

De 31 de Maio a 16 de Setembro, os carros ficam à porta da Arrábida. Transporte público é a alternativa. Um exemplo a seguir.

Foto de Tiago Ferreira via Flickr

“Arrábida Sem Carros” é o nome da iniciativa lançada este ano pela Câmara Municipal de Setúbal que restringe o acesso de automóveis às praias da Serra da Arrábida, um dos tesouros naturais da área metropolitana de Lisboa. Em vez do carro privado, a autarquia está a incentivar o acesso às praias através de transporte público – uma iniciativa arriscada num país com uma cultura automóvel fortíssima mas que pode ser tida como exemplo.

O que muda?

Assim, o trânsito entre as praias da Figueirinha e do Creiro vai estar proibido a carros de 31 de Maio até 16 de Setembro. Será permitida apenas a circulação de veículos de duas rodas, como motas ou bicicletas, veículos autorizados (por exemplo, de moradores) e aos transportes públicos. Existirão ligações gratuitas ou com 1 euro de custo, de 20 em 20 minutos, entre as praias da Figueirinha, do Creiro, de Albarquel e do Portinho da Arrábida (com paragens nas várias zonas balneares existentes neste percurso).

A partir de Setúbal e de Azeitão, existirão dezenas de carreiras de autocarros com paragens noutras localidades e que permitem chegar às zonas balneares (não só Figueirinha e Creiro, mas também Albarquel) e que custarão entre 1,40 e 4,70 euros, dependendo do ponto de partida. Em Setúbal, os veraneantes poderão apanhar estes autocarros nas estações rodoviária e ferroviária, bem como no centro comercial Alegro e na Casa da Baía.

Folheto informativo da Câmara Municipal de Setúbal

Estacionamento gratuito e pago “à porta” da Arrábida

Os carros ficam “à porta” da Arrábida. Existem estacionamentos pagos com lotação de 250 e 200 lugares nas praias limítrofes da Figueirinha e do Creiro, respectivamente, que custam entre 5 a 9 euros por dia, dependendo se é época baixa (Junho e Setembro) ou época alta (Julho e Agosto). Existe ainda um total de 1100 lugares gratuitos no Alegro, no Parque Urbano da Várzea e junto à fábrica SECIL. Foram colocados painéis informativos electrónicos à saída de Setúbal com informação sobre lugares de estacionamento disponíveis e a GNR vai apertar durante o período do “Arrábida Sem Carros” a fiscalização do estacionamento ilegal.

No Portinho da Arrábida, há 40 lugares disponíveis à entrada (no cruzamento), onde será possível deixar o carro e depois chegar à praia através de uma ligação de vaivém. Foram colocados impedimentos físicos ao longo da EN379-1, de forma a não permitir o estacionamento abusivo, em particular no troço compreendido entre a intersecção para o Hospital do Outão e após o acesso ao estacionamento da Praia da Figueirinha.

Para mais informações, podes consultar o site da Câmara Municipal de Setúbal, nomeadamente este guia prático em PDF que resume as principais alterações.

Obras para tornar a Arrábida mais amiga das pessoas

Uma série de intervenções nas praias e noutros locais do parque natural da Arrábida vão, ao longo deste Verão, melhorar quem quer usufruir da natureza a pé ou de bicicleta. A EN379-1 vai ser requalificada de forma a tornar-se mais confortável à utilização de bicicletas no acesso às praias da Arrábida, nomeadamente através da implementação de ciclovia e de locais de estacionamento próprios junto das zonas balneares.

Uma das renovações previstas

Em várias praias, vão surgir novos passeios pedonais, sanitários públicos, passadiços no areal, melhoria de acessos rodoviários, melhores saneamentos básicos, novo mobiliário urbano (cadeiras, mesas, fogareiros e bebedouros), quiosques e esplanadas. Os investimentos ascendem a perto de um milhão de euros, diz a Câmara Municipal de Setúbal, que em 2017 assumir a gestão das praias do município. Antes, a responsabilidade das praias era partilhada por diversas entidades, que, refere a autarquia, tinham que, obrigatoriamente se pronunciar sobre os planos de mobilidade e eventuais obras de beneficiação, o que obrigava a um complexo trabalho de consensualização.

As intervenções podem ser consultadas aqui.