Governo português testa blockchain em concurso com prémio total de 90 mil euros

A iniciativa GovTech vai premiar três projectos que procurem resolver problemas da Humanidade. A selecção será feita através de uma criptomoeda.

governo português
Foto de Thought Catalog via Unsplash

A iniciativa chama-se GovTech e, até 8 de Junho, está aberta a candidaturas. Projectos que procurem resolver problemas da Humanidade, relacionados com um dos 17 objectivos da ONU para 2030, serão os premiados. O bolo de 90 mil euros será repartido pelas três ideias vencedoras, seleccionadas através de um sistema de votação por blockchain.

Não é a primeira vez que se usa blockchain em Portugal num sistema de votação – já foi feito no ano passado no Pixels Camp, o maior hackathon português –, mas é uma estreia da utilização desta tecnologia que oferece transparência e segurança por uma entidade governamental.

Acendendo à plataforma do GovTech, os utilizadores poderão utilizar uma criptomoeda criada especificamente para esta iniciativa, chamada GovTech’s, sem valor real, para investir nos projectos que acreditam ser merecedores de um grande prémio.

Assim, cada utilizador terá uma carteira com um determinado plafond para fazer os seus investimentos. Mas a comunidade não será a única a decidir – existirá também um júri que votará nas melhores ideias na mesma lógica e que será composto por Catarina Furtado, embaixadora da ONU, Ricardo Lima, responsável pelas start-ups no Web Summit, Vânia Gonçalves, investigadora, e João Borga, Startup Portugal.

Segundo Graça Fonseca, Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, “um dos objectivos é testar a tecnologia blockchain em determinado tipo de iniciativas e ver os resultados obtidos” e, caso corra tudo bem, é vontade do Governo aplicar o blockchain em futuras iniciativas, detalhou ao Observador. Graça Fonseca reconheceu ainda que o uso do blockchain,

é parte de uma estratégia para fazer o GovTech chegar a mais pessoas, até porque quem se registar no site terá a oportunidade de convidar amigos a registar-se também, ganhando GovTech’s.

Candidaturas abrem dia 2 de Maio

As candidaturas ao GovTech abrem dia 2 de Maio e terminam dia 8 de Junho. A plataforma onde poderão ser feitas está ainda a ser desenvolvido pela Bright Pixel, a organizadora do Pixels Camp, e permitirá a qualquer cidadão português autenticar-se através da Chave Móvel Digital e reclamar um saldo de moedas GovTech’s. A votação nos projectos decorrerá até Setembro.

Além dos 30 mil euros para o desenvolvimento das ideias, as três start-ups vencedoras vão ter acesso, durante um ano, a uma incubadora nacional à sua escolha, consultoria para se expandirem internacionalmente com o apoio do Instituto Camões e bilhetes para a edição de 2018 do Web Summit.

Em Setembro de 2015, a ONU (ou Nações Unidas) estabeleceu em Assembleia Geral uma lista de objectivos para a Humanidade resolver até 2030. São 17 e incluem:

  • Erradicar a Pobreza
  • Erradicar a Fome
  • Saúde de Qualidade
  • Educação de Qualidade
  • Igualdade de Género
  • Água Potável e Saneamento
  • Energias Renováveis e Acessíveis
  • Trabalho Digno e Crescimento Económico
  • Indústria, Inovação e Infraestruturas
  • Reduzir as Desigualdades
  • Cidades e Comunidades Sustentáveis
  • Produção e Consumo Sustentáveis
  • Acção Climática
  • Proteger a Vida Marinha
  • Proteger a Vida Terrestre
  • Paz, Justiça a Instituições Eficazes
  • Parcerias para a Implementação dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável