Bilhetes para os festivais de verão e espectáculos estão mais baratos hoje

Várias empresas do mundo do espetáculo vão assumir os 7% do valor dos ingressos que reclamam estar a mais esta sexta-feira.

festivais de verão portugal

No princípio da semana, a Everything is New já tinha feito chegar às redações de todo o país uma petição pela diminuição do IVA nos espectáculos culturais, agora, a sua luta ganha novos contornos e durante o dia de amanhã será a própria empresa — em parcerias com outras do mesmo sector — a assumir os 7% do valor dos ingressos que reclamam estar a mais.

“A actual tributação em IVA dos espectáculos ao vivo é feita à taxa de 13% – medida posta em prática aquando da adesão de Portugal ao plano de ajustamento imposto pela Troika. Passaram-se quase quatro anos desde a saída da Troika, o País está em franca recuperação, mas a reposição do IVA a 6% continua a ser uma medida adiada, ao contrário do que aconteceu em países na mesma situação que Portugal, como é o caso de Espanha, para citar um exemplo.“ É um excerto do que se podia ler no texto da petição que agora dá lugar a esta medida inédita promovida pela APEFE (Associação Portuguesa de Espetáculos, Festivais e Eventos).

Numa iniciativa que junta as maiores empresas produtoras de eventos — responsáveis por organizarem os festivais mais badalados e com mais promoção — esta sexta-feira, dia 13 de Abril, a maioria destes ingressos serão vendidos a preço mais baixo. Para além dos organizadores de NOS ALIVE (Eveything is New), Paredes de Coura e Primavera Sound (Ritmos), Super Bock Super Rock e Meo Sudoeste (Música no Coração) e Marés Vivas (Ritmos & Blues e da PEV Entertainment), juntam-se também à iniciativa Filipe La Féria e a produtora UAU.

De notar que esta iniciativa é promovida e suportada pelos grandes players do sector, com capacidade de investimento e de compensação destes 7% de IVA. Promotores com relações com o Estado estão igualmente impedidos de se juntar ao movimento, mesmo que concordem com a iniciativa por não terem poder para controlar o preço dos ingressos que vendem.

Os escalões de IVA são um tópico que merece atenção e reflexão, especialmente em sectores com um grau de subjectividade tão elevado como a cultura. O imposto desdobra-se em 3 níveis: normal, intermédio ou reduzido, tendo em conta o grau de necessidade pública do bem em questão. A cultura foi até à chegada da troika um sector beneficiário do escalão mais reduzido do imposto mas desde então que se encontra no patamar intermédio.

Se pensarmos no preço de um espectáculo de teatro de, por exemplo, 10€, a diferença de 7% representa 70 cêntimos. O caso agrava-se com ingressos mais caros como os passes de vários dias para festivais onde a diferença pode rondar os 10€.