Elon Musk diz que está a fazer um dragão-ciborgue… será para nos distrair?

Os tweets de Musk têm atenção mediática e podem, assim, desviar a atenção para questões negativas que afectem a si e as suas empresas. Será este o caso?

Elon Musk dragão

O Twitter de Elon Musk pode parece inocente – uma conta onde o empresário (por vezes, apelidado também de visionário) partilha aquilo que lhe vai na cabeça, de forma livre e descomprometida. Mas ao contrário do que habitualmente equacionamos o que Elon Musk diz online acaba por ter repercussões na imprensa e, claro está, no desempenho das suas empresas na bolsa, seja a SpaceX, a Tesla ou a Boring Company.

Musk não só tweeta, como responde aos tweets dos seus seguidores, numa interacção que por vezes nos faz esquecer que estamos a falar com um bilionário.

Na quarta-feira, Musk foi ao Twitter dizer que estava a trabalhar num dragão-ciborgue. “Oh, já agora, estou a construir um dragão-ciborgue”, tweetou, sem mais detalhes. “Já não era sem tempo”, respondeu um dos seguidores, e Musk comentou: “Eu sei… Um mercado tão mal servido.”

O primeiro tweet de Musk recebeu mais de 17 mil respostas, 100 mil partilhas e 440 mil gostos até à data e hora de escrita deste artigo, sábado, ou seja, quatro dias depois. A revelação de Musk, calhou na mesma altura em que a revista Forbes publicou um artigo a criticar a ideia de Musk de fazer túneis de Hyperloop no subsolo de Los Angeles. Já na semana passada foi iniciada uma investigação à fábrica da Tesla na Califórnia devido a alegados problemas de segurança, depois de uma notícia de que a empresa não tinha divulgado relatórios legalmente obrigatórios sobre acidentes de trabalho. Noutro acontecimento negativo, recentemente um shareholder da Tesla pediu o afastamento de Musk da direcção da empresa, algo que acabou por ser rejeitado.

No passado, Elon Musk partilhou no Twitter ideias que pareciam descabidas, mas que acabaram por se concretizar ou que estão em andamento, como a aterragem de um foguetão da SpaceX numa jangada flutuante com vista à reutilização destes equipamentos ou mesmo toda a concepção do Hyperloop e do projecto em Los Angeles. Ou o lança chamas. Como no artigo sobre esse perigoso brinquedo referimos, os seus anúncios podem parecer ideias fantásticas de um empreendedor aborrecido mas também podem ser vistas como manobras de distração de um dos mais poderosos empresários da actualidade. Numa altura em que a valorização dos mercados é fulcral para o crescimento de empresas tecnológicas como as que detêm, Musk pode ser mais do que um genuíno influencer, um verdadeiro growth hacker.

O último rasgo do génio Elon Musk: um lança chamas