#DeleteFacebook? No primeiro trimestre do ano, não foi bem assim

Facebook cresceu 3,42% em número de utilizadores diariamente activos, apesar de toda a polémica dos Cambridge Analytica Files.

Foi um início de ano cinzento para o Facebook, com o caso dos Cambridge Analytica Files, o testemunho de Mark Zuckerberg no Congresso norte-americano e, mais importante, o escrutínio público quanto à privacidade dos dados. Mas, apesar de “enfrentar estes desafios importantes”, como resume Zuckerberg num post no Facebook, a tecnológica não parou de crescer. No primeiro trimestre de 2018, o Facebook cresceu 3,42% em número de utilizadores.

São mais 48 milhões de utilizadores diariamente activos, num total de 1,449 mil milhões. Um crescimento que foi mais acentuado que no último trimestre de 2017, quando o Facebook cresceu apenas 2,18%. Ou seja, há mais pessoas a usar o Facebook todos os dias, mas o número de utilizadores mensalmente activos também aumentou – 70 milhões para 2,196 mil milhões (uma subida de 3,14%, inferior, todavia, à de 3,39% dos últimos três meses de 2017.

Aquando da revelação dos Cambridge Analytica Files, o movimento #DeleteFacebook surgiu com algumas personalidades conhecidas a anunciarem o abandono da rede social, como Elon Musk (que desactivou – não eliminou – os perfis da Tesla e da SpaceX) e o co-fundador do WhatsApp Brian Acton.

Contas feitas, o #DeleteFacebook terá sido um caso mais mediático que outra coisa, pelo menos até ao final de março. O Facebook tem, assim, 2,2 mil milhões de utilizadores activos mensalmente e aos 1,4 mil milhões activos diariamente, conforme resumiu Mark Zuckerberg numa publicação:

We just announced our quarterly results and community update. Despite facing important challenges, our community…

Publicado por Mark Zuckerberg em Quarta-feira, 25 de Abril de 2018