11 minutos de fritaria musical é o novo “Fetiche” de Arca

Não é um disco, nem um EP, mas é um faixa e um videoclip que ganham força e intensidade pelo desrespeito pelo standard.

arca fetiche

A música pop — não mainstream, pop — não é dada a grandes mudanças mas quando as há são de alta magnitude. Arca é mais um desses casos que em pouco mais de 1 ano habituou os novos ouvidos à sua fritaria musical. Surgiu discretamente, vindo da Venezuela, com um álbum homónimo e pouca promoção mas rapidamente conquistou o público pela originalidade da sua música e, convenhamos, pela sua arrojada forma de estar e de se apresentar.

Destacámo-lo como um dos projectos mais fortes da primeira metade do ano transacto e, agora, voltamos a dar conta do seu contributo para que os primeiros seis meses do ano não terminem sem o seu toque. “Fetiche” é o primeiro lançamento desde o referido álbum e depois de um período de trabalho com a iconoclasta da pop, a islandesa Bjork.

Não é um disco, nem um EP, mas uma faixa e um videoclipe que ganham força e intensidade pelo desrespeito pelas regras. São, autenticamente, 11 minutos de fritaria com música composta por sintetizadores electrónicos, numa espécie de glitch sequencial e melódico que se vai deixando interromper por sons humanos altamente trabalhados de gargalhadas e pequenas expressões, numa composição rítimica, repetitiva e desafiante.

O video esse não podia ser mais simples: nele vemos durante a maior parte do tempo umas pernas — supõe-se que seja de Arca — a espezinhar, sem coreografia mas com ritmo, um ramo de flores até à fase final em que um fundo sólido toma de assalto o ecrã ao som da mudança no beat.

Na descrição Arca deixa uma mensagem, no comprimento onda a que nos vai habituando e no seu espanhol nativo:

 “Mira en tu interior, libérate de ti misma; no permitas ningún abuso.”

O músico venezuelano é esperado com gande expectativa em Portugal no dia 9 de Julho para um concerto no Primavera Sound, a sua primeira grande actuação em solo nacional.

Está apresentado o cartaz do NOS Primavera Sound 2018