Queria unificar todos os transportes públicos de Portugal numa só app, já conseguiu uma parte

Primeiro protótipo já está disponível com 12 operadores. Equipa continua a querer expandir o projecto.

Aquilo que começou como um directório no GitHub semi-vazio é hoje um projecto com alguma substância e o contributo voluntário de muitos. Há dois meses, André Glatzl, um programador português, lançou o repto no Reddit: quero unificar todos os transportes públicos existentes em Portugal numa só app e preciso da vossa ajuda.

Com a ajuda de uma comunidade de cerca de 10 pessoas, de Braga até ao Algarve, André conseguiu montar o primeiro protótipo daquela que poderá ser, no futuro, o aliado de todos o que se querem deslocar em território nacional à boleia do transporte público. A ideia do TPP – como se denomina o projecto – é que o utilizador possa apenas definir o ponto de partida e de chegada e o sistema devolva uma lista de todas as opções de mobilidade disponíveis, tendo em conta os operadores activos, horários e preços.

“Batalhámos muito estes últimos 2 meses mas CONSEGUIMOS!”, partilhou André numa nova publicação no Reddit português. Tentámos imensas ferramentas, como routing engines, geocoders, GTFS’s validators, e dessas experiências todas conseguimos então seleccionar as melhores. É com muito prazer que nós, a comunidade do projeto TPP, vos convidamos a serem Beta Testers da versão inicial da app.”

A primeira versão do TPP

A primeira versão do TPP está disponível no site tpp.pt e integra dados de alguns dos transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa (Carris, Metro de Lisboa, TST, Rodovidária de Lisboa, Soflusa/Transtejo, Fertagus e Sulfertagus), mas também de outras partes do país, nomeadamente a CP, a STCP (do Porto), a TUB (de Braga) e a SMTUC (de Coimbra). No endereço web da aplicação já portanto possível realizar pesquisas entre estes 12 operadores.

Comunidade de Slack do TPP

André Glatzl, Rui Santos e a restante equipa empenhada no TPP procuram agora a atenção de outras empresas que queiram embarcar no projecto, que prometem continuar a desenvolver com a ajuda de todos através de um canal no Slack e a partilhar publicamente num repositório no GitHub.