Start-up quer fazer backups do cérebro humano, mas quem quiser terá de morrer

A Nectome tem um propósito "muito Black Mirror": criar backups digitais de cérebros humanos, preservando as tuas memórias.

Foto de Ken Treloar via Unsplash

De Silicon Valley já esperamos praticamente tudo; o que não esperávamos por nada deste mundo era uma start-up com uma promessa fatal. Sim, leste bem: fatal. A Nectome é uma jovem empresa com um propósito “muito Black Mirror: criar backups digitais de cérebros humanos, preservando as tuas memórias. Há apenas um senão: não podes estar vivo.

Como assim? No seu site oficial, a Nectome diz estar trabalhar numa forma de preservar o conectoma do nosso cérebro – isto é, o conjunto de todas as ligações neurais – de um modo tão detalhado que será possível reconstruir digitalmente as memórias de uma pessoa, mesmo depois de o cérebro estar morto.

Site da Nectome

A empresa diz que já conseguiu preservar todo o conectoma do cérebro de um coelho (tendo ganho um prémio com isso) e que agora quer escalar esse processo de preservação – que implica a fatalidade do órgão – a cérebros de maiores dimensões como os humanos. Para tal, e segundo a MIT Technology Review,  a start-up planeia trabalhar com doentes terminais e já se aconselhou com advogados no que toca a procedimentos dignos para pessoas em final de vida.

Foto via Nectome

Se esta start-up te está a parecer uma fantochada, fica a saber que conta com o “selo” da Y Combinator, aceleradora de start-ups conhecida mundialmente pelo apoio que dá a empresas ousadas já ajudou firmas como o Airbnb, a Dropbox, o Mixpanel, o Reddit ou o Coinbase nos seus primeiros dias. A Nectome vai participar, no início da próxima semana, numa edição do Demo Day do Y Combinator, um evento de três dias onde start-ups podem apresentar as suas ideias a jornalistas e investidores.

Não se sabe ainda o que é que a Nectome vai conseguir neste Demo Day, mas a empresa conta já com 960 mil dólares do Instituto Nacional de Saúde Mental norte-americano, que viu uma oportunidade comercial na preservação cerebral. Para além disso, do ponto de vista comercial, a empresa procura explorar uma estratégia ao estilo Tesla dando oportunidade aos interessados de se juntar à lista de espera, a troco de um depósito de 10 mil dólares. A intenção podem ser revogada a qualquer altura e o depósito será devolvido ao cliente. Até agora, segundo o MIT Technology Review, já surgiram 25 interessados.