Morreu o último rinoceronte-branco do norte macho do mundo

A única forma de salvar a sub-espécie está agora dependente das duas fêmeas restantes.

Rinoceronte-branco

Morreu o último rinoceronte-branco do norte macho do mundo. O rinoceronte chamado Sudan tinha 45 anos e a sua saúde tinha vindo a piorar nos últimos dias devido a várias infecções e problemas próprios da sua idade avançada.

A equipa veterinária tomou a decisão de eutanizar o animal quando o seu estado de saúde se deteriorou significativamente. Incapaz de continuar a procriar naturalmente devido à sua condição física, a única forma de salvar a sub-espécie está agora dependente das duas fêmeas restantes serem artificialmente inseminadas com o seu material genético.

Elodie Sampere, representante do Ol Pejeta Conservancy no Quénia onde Sudan viveu os seus últimos dias, recorda o animal como “um gigante gentil, com uma personalidade incrível, de que muita gente tinha medo dado o seu tamanho. Mas que não tinha nada de mau em si.”d

A caça furtiva ao rinoceronte

Brent Stirton, Wildlife Photographer of the Year 2017

Mesmo no Ol Pejeta, Sudan estava rodeado de guardas que o protegiam de caçadores furtivos. O tráfico ilegal de animais selvagens é considerado uma das principais actividades criminosas a nível mundial, ao lado do tráfico de droga, de armas e humanos; vários relatórios apontam ainda para o financiamento de actividades terroristas através da caça furtiva de rinocerontes e elefantes.

A actual crise de caça furtiva ao rinoceronte começou no Zimbabwe, onde as dificuldades sócio-económicas e o clima político facilitaram a actividade. Depois das presas fáceis do Zimbabwe, a atenção dos gangues de caça virou-se para a África do Sul onde entre 2009 e 2014 se registou um enorme aumento de caça furtiva. Em 2013 a crise alastrou-se para outros países africanos.

 

South Africa Poaching Statistics 2017
Save the Rhino

A África do Sul é o país com a maior população de rinocerontes no mundo e por isso os esforços de conservação têm sido concentrados neste país. Ainda que desde 2015 que os números tenham vindo a diminuir, as perdas continuam a ser demasiado elevadas.

A procura pelo chifre de rinoceronte vem principalmente de países asiáticos, como o Vietname, onde este é visto como um símbolo de status e poder, e onde se acredita que devido às suas supostas propriedades capazes de desintoxicar o corpo, pode ser usado como uma “cura milagrosa” para o cancro, para ressacas, entre outras doenças.

Todas as cinco espécies de rinoceronte — Branco, Preto, Indiano, de Sumatra e de Java — estão consideradas como em vias de extinção.

(c) SRI