Mark Zuckerberg falou finalmente e quer reconquistar a tua confiança

Mark Zuckerberg: "No final do dia, sou responsável pelo que acontece na nossa plataforma. Estou comprometido a fazer o que for preciso para proteger a nossa comunidade."

Mark Zuckerberg WhatsApp
Foto via Facebook

O fundador e CEO do Facebook, empresa que tem estado debaixo de olho depois dos Cambridge Analytica Files, abordou por fim o escândalo do roubo de informação de 50 milhões de utilizadores pela londrina Cambridge Analytica para influenciar as últimas eleições norte-americanas e favorecer o Brexit. “Temos a responsabilidade de proteger os vossos dados e, se não conseguirmos fazê-lo, não te merecemos”, escreveu Mark Zuckerberg no seu perfil de Facebook.

Justificando a sua ausência, Zuckerberg disse que tem estado a trabalhar para “perceber exactamente o que aconteceu e como garantir que não volta a acontecer”. O executivo refere que as principais medidas para um caso como o da Cambridge Analytica não se repetir já foram tomadas, lembrando que, em 2014, o Facebook limitou drasticamente os dados aos quais as apps baseadas na rede social, como a de Aleksandr Kogan, podiam aceder. “Mais importante, apps como a de Kogan não podem aceder a dados dos amigos dos utilizadores a não ser que esses amigos tenham autorizado essa app também. Também passámos a requerer aos programadores aprovação nossa antes de poderem pedir dados sensíveis às pessoas. Essas acções impedirão qualquer aplicação como a de Kogan de poder acessar tantos dados hoje, escreveu Zuckerberg.

O líder da maior rede social do planeta disse, contudo, que, apesar de o principal já ter sido feito, ainda falta fazer mais e anunciou três grandes mudanças, que podem ser conhecidas em maior detalhe num comunicado de imprensa entretanto divulgado pelo Facebook.

A primeira passará por investigar todas as apps que tiveram acesso a grandes quantidades de informação antes das restrições feitas à plataforma de apps do Facebook em 2014.

A segunda envolverá mais limitações no acesso a dados pessoais por parte das apps do Facebook. “Por exemplo, vamos remover o acesso dos programadores aos teus dados se não usaste a sua aplicação em três meses”, escreveu. Além disso, quando te registares numa app de Facebook, ela passará a ter acesso apenas ao teu nome, foto de perfil e endereço de e-mail – nada mais.

A terceira e última medida (para já) passará por tornar mais visíveis as ferramentas que permitem aos utilizadores gerir as aplicações associadas ao seu perfil.

“No final do dia, sou responsável pelo que acontece na nossa plataforma. Estou comprometido a fazer o que for preciso para proteger a nossa comunidade”, concluiu, assim, Mark Zuckerberg. “Quero agradecer a todos os que continuam a acreditar na nossa missão e a trabalhar para aproximar esta comunidade. Sei que demora mais tempo do que gostaria para resolver todos estes problemas, mas prometo que vamos trabalhar nisso e criar um melhor serviço a longo prazo.”

I want to share an update on the Cambridge Analytica situation — including the steps we've already taken and our next…

Publicado por Mark Zuckerberg em Quarta-feira, 21 de Março de 2018