Autarcas prometem Lisboa, Porto e arredores com passe único e mais barato de transportes

A ideia é criar um único passe de transporte, comum a todos os modos (autocarro, metro, barco, comboio...) e a todos os operadores públicos e privados, e mais barato que as opções existentes actualmente.

Foto de André Sanano via Flickr

Actualmente, a mobilidade dentro das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto é dificultada por uma bilhética dispersa e confusa. Existem diferentes títulos de transporte, consoante a cidade e o operador. A ideia dos autarcas é simplificar tudo, criando um único passe de transporte, comum a todos os modos (autocarro, metro, barco, comboio…) e a todos os operadores públicos e privados, e mais barato que as opções existentes actualmente.

A promessa é ambiciosa e resultou de um encontro entre os responsáveis pelos 35 municípios das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, que decorreu esta terça-feira, no Palácio Nacional de Queluz, em Sintra. As autarquias vão agora trabalhar no desenho deste passe, prometendo uma proposta mais concreta em Junho.

Fernando Medina, presidente da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e também da Câmara Municipal de Lisboa (CML), salientou no Twitter a importância da criação deste passe. “O primeiro ponto a negociar até Junho é o da forte redução do preço dos transportes públicos”, escreveu. Medina salientou ainda que mais de metade das deslocações em Lisboa são feitas de carro, “um número que desce para 38% em Paris ou 26% em Barcelona”, e acrescentou que em Portugal a bilheteira cobre 80 a 90% dos custos das empresas de transporte, enquanto que “nos principais países europeus não ultrapassa 40% a 60%”.

O passe único metropolitano vai ser financiado pela criação de um Fundo de Mobilidade Metropolitana, que permitirá repartir o financiamento pelos diferentes municípios e operadores de transporte. O objectivo final dos autarcas é promover o transporte público.