Heel Tread: as meias portuguesas que são inspiradas em carros clássicos

“Queremos trazer para o mercado meias sofisticadas mas extrovertidas, de qualidade superior mas acessíveis a todos.“

Heel Tread meias portuguesas
Foto de Heel Tread (DR)

As meias não têm de ser castanhas e cinzentas; e podem ser divertidas e coloridas mesmo não tendo flores ou ananases. Dois portugueses decidiram criar uma marca de meias cujos desenhos são inspirados em paixões. A primeira colecção da Heel Tread é para todos os que gostam de carros clássicos, mas esta start-up, sediada na incubadora Startup Lisboa, promete apresentar meias para outros tipos de paixões no futuro.

“O grande desafio é, desde o início, fugir aos bonecos e padrões mais óbvios, aos clichés dos flamingos, ananases e cerejas; por isso, todos os pares têm uma história associada, uma desconstrução do tema transposto para este acessório trendy”, confessa João Simões, co-fundador e designer da Heel Tread, numa nota de imprensa. “Queremos trazer para o mercado meias sofisticadas mas extrovertidas, de qualidade superior mas acessíveis a todos.”

Inspirados nos carros mais icónicos de todos os tempos, a Heel Tread tem 20 pares de meias diferentes, inspiradas em clássicos como Ferrari GTO, Lamborghini Miura, Jaguar E-type e Ford Mustang. Cada meia representa um destes automóveis, com um padrão que reproduz as suas cores e repete alguns dos seus elementos mais icónicos.

Somos apaixonados por carros, motas e aviões, e daí surgiu a inspiração da nossa primeira colecção que usou como motivo alguns dos carros mais emblemáticos de sempre”, afirma Gonçalo Henriques, co-fundador da Heel Tread e responsável pelo negócio da marca.

Compostas por 80% algodão penteado, 17% poliamida e 3% elastano e produzidas sem costuras, os pares de meias da Heel Tread custam 10 euros e podem ser encontradas online, assim como em algumas lojas em Lisboa, Porto e Aveiro. Na capital, por exemplo, pode ser encontrada no It Market (Centro Comercial Colombo), UOY (Embaixada) e Feeting Room; no Porto, está também no Feeting Room; e, em Aveiro, reside na loja Cais das Falcoeiras.

A start-up portuguesa, incubada na Startup Lisboa desde Outubro de 2017, ambiciona vender 25 mil pares até ao final de 2018, assim como expandir a sua presença no retalho para Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

Para João e Gonçalo, as meias são as novas gravatas. Os dois empreendedores consideram que Silicon Valley trouxe uma libertação dos padrões empresariais tradicionais e que, assim, as gravatas estão a cair em desuso “tanto pela sobriedade e desconforto que as caracterizam, como pela perda de formalidade nos ambientes empresariais e de negócio”. As meias, dizem, são uma “forma mais cool de trazer cor e personalidade para o dia-a-dia”.