Tudo o que sabemos sobre a sequela de Call Me By Your Name

O realizador Luca Guadagnino tem aproveitado as passadeiras vermelhas para avançar mais detalhes. Um deles? A história vai passar-se 5 ou 6 anos depois da do primeiro filme.

Imagens do filme Call Me By Your Name

A onda do hype de Call Me By Your Name foi tão grande, que até o mais inexperiente dos surfistas conseguiria navegá-la. Luca Guadagnino é tudo menos inexperiente, e ainda que não costume surfar neste tipo de mar de aclamação generalizada, o seu mais recente filme foi um autêntico tsunami que apanhou todos os que se atravessaram à sua frente.

As primeiras notícias chegaram para os fãs perderem o sono à noite, a sonhar com a perspectiva de um reencontro entre Elio e Oliver. A ideia ganhou contornos mais sérios depois de o filme ter vencido o Óscar de Melhor Argumento Adaptado na cerimónia deste ano e de o realizador italiano ter revelado mais detalhes sobre a sequela na passadeira vermelha do Dolby Theatre.

Call Me By Your Name, baseado no romance de André Aciman com o mesmo nome, conquistou até os mais cépticos, reunindo elogios pela sua representação realista de um romance de verão entre Elio, de 17 anos, e o estudante norte-americano de 24 anos, Oliver, no norte da Itália – mas, com um final daqueles, que continuidade pode ter a história? Aqui está um apanhado de tudo o que sabe até agora sobre Call Me By Your Name 2.

Quando se vai passar a narrativa do segundo filme?

Em declarações ao USA Today nos Óscares, Luca Guadagnino disse que a trama do segundo filme se vai passar cinco ou seis anos após a original. Disse ainda que já está a desenvolver o enredo com André Aciman, acrescentando que “vai ser um novo filme, um tom diferente”. 

Embora o romance de Aciman tenha lugar em 1987, Guadagnino desloca o cenário do primeiro filme para 1983, poucos anos antes de ter começado a aparecer uma maior consciência do HIV e da SIDA. Em entrevista ao Hollywood Reporter, o realizador revela a vontade de tocar nesses temas. “Acho que o Elio vai ser um cinéfilo, e gostava de o ter no cinema a ver o ‘Once More’ do Paul Vecchiali”, de 1988, o primeiro filme francês a abordar o tabu da sida. Essa pode até vir a ser a primeira cena do filme”, disse Luca.

Partindo do princípio que CMBYN é um filme fora do normal, tendo em conta o que costumam ser os romances gay, por causa do desfecho simpático para Elio e Oliver, é de prever que a sequela seja um pouco mais sombria, até porque Guadagnino adianta que a doença será “uma parte muito relevante da história”.

Quem vai participar?

Os actores principais já estão garantidos, Armie Hammer e Timothée Chalamet vão voltar respectivamente aos seus papéis de Oliver e Elio. Guadagnino também confirmou numa entrevista Novembro que também iam voltar os personagens do pai, Sr.Perlman (Michael Stuhlbarg), a namorada de Elio, Marzia (Esther Garrel, que, by the way, é irmã do incrível Louis Garrel, o Théo de The Dreamers de Bertolucci) e Mafalda, a empregada (Vanda Capriolo). Em declarações ao Screen Daily disse que também a mãe, Amira Casar, retornaria em seu papel como Annella Perlman.

É possível que Elio e Marzia retomem o seu namorico nesta sequela — não esquecer que Oliver estará casado. Em Outubro, ainda ao Screen Daily, o realizador disse: “Eu não acredito que Elio se vá tornar necessariamente num homem gay. Ele ainda não encontrou o seu lugar. Posso dizer-lhe que acredito que ele vai começar um relacionamento intenso com Marzia novamente.”

Quando vai sair o filme?

Na mesma entrevista ao Screen Daily, o Guadagnino diz que espera que o filme estreie em 2020 – porque Chamalet terá 25 anos, a mesma ideade que o seu personagem Elio. “Se eu emparelhar a idade do Elio no filme com a idade do Timothée, daqui a três anos ele terá 25 anos, assim como o Elio na época em que queremos situar a história da sequela.” Enquanto isso, Oliver teria 31 anos no filme e Hammer 34.

A imprensa especializada refere que as filmagens ainda não começaram, uma vez que o guião não está terminado. Sobre uma possível participação do vencedor de um Óscar e um BAFTA, James Ivory, responsável pela adaptação do livro de André Aciman ao grande ecrã, pouco se sabe. Ivory diz que não foi contactado para participar na construção do texto. Diz que “ouviu falar disso” e acrescenta até que, do que ouviu, não sabe como se pode fazer uma sequela tão longe no tempo.

Outros pormenores

“Eles vão dar a volta ao mundo”, disse Guadagnino, sem adiantar grandes pormenores. No livro de Aciman, Elio acaba por visitar Oliver 15 anos depois de se terem conhecido — um Oliver casado, já com filhos. Oliver também visita Elio, passados cinco anos, em Itália.

O director italiano sugere ainda que o filme pode focar a Guerra do Iraque e ser enquadrado no contexto político dos anos 1990. É a hora da queda do comunismo e do início da nova ordem mundial e do chamado ‘Fim da História’ que Francis Fukuyama estabeleceu. Seria o início da era Berlusconi na Itália e significaria lidar com a guerra do Iraque.”

Seja como for, Luca Guadagnino tem a intenção de prolongar a história por muito tempo — numa espécie de imitação moderna dos Before Sunrise/Sunset/Midnight. 

Em entrevista à Vulture, disse directamente que podem haver até cinco filmes CMBYN. Conta que imaginou a sequela do primeiro filme assim que o estreou no Festival de Cinema de Sundance em Janeiro do ano passado. “Eu não percebi completamente até então [Sundance] que eles eram personagens que poderiam ultrapassar os limites do filme.” Diz que o desejo de fazer uma sequela “surgiu do meu amor por essas personagens e do meu desejo de visitá-los novamente e, ao fazê-lo, estar com as mesmas pessoas com quem fiz o primeiro filme.”