Advinha quem vai estar de volta. Tens 6 segundos para responder

O V2 está a ser desenvolvido por Dom Hofmann, co-fundador do Vine. Aplicação deverá ser lançada entre a Primavera e o Verão deste ano.

O logo do V2 (foto via Twitter)

Em 2016, a internet despediu-se do Vine. O Twitter decidiu matar a aplicação que permitia gravar e partilhar clipes de vídeo com até 6 segundos, focando os seus esforços na sua própria plataforma de vídeo. Dois anos depois, Dom Hofmann, um dos fundadores do Vine, decidiu ressuscitar a plataforma. Já é certo que vem aí o V2 mas ainda pouco se sabe sobre como será o futuro da aplicação.

Os detalhes sobre este V2 estão a ser reveladas aos poucos, desde que Hofmann tweetou em Dezembro do ano passado o suposto logo da suposta nova aplicação, sem acrescentar qualquer informação. O TechCrunch lançou agora, no final de Janeiro, uma peça que esclarece algumas das dúvidas que ficaram desde então. Outras ficarão por esclarecer.

Não é “Vine Dois”, é V2

Dom Hofmann pede para não chamarem ao V2 “Vine Dois”, uma vez que o Twitter continua a ter os direitos da marca Vine. Neste contexto, apesar das semelhanças visuais entre o logo do V2 e o do Vine – talvez propositadas –, Hofmann não quer associar a nova aplicação à anterior para evitar complicações legais com a empresa de Jack Dorsey. A imagem do V2 pode ainda sofrer alterações até que a plataforma ser oficialmente lançada, sugere o TechCrunch, avançando que esse lançamento poderá acontecer entre a Primavera e o Verão deste ano. A app está actualmente numa fase alpha “muito, muito, muito limitada”, refere o responsável, e terá versões iOS e Android.

Vídeos em loop entre 2 e 6,5 segundos

Outra coisa também parecer ser certa: O V2 permitirá aos utilizadores gravar vídeos entre 2 e 6,5 segundos, que ficam automaticamente em loop, e também carregar clipes previamente feitos ou editados noutras aplicações. No V2 não existirão filtros coloridos, máscaras faciais (por exemplo, para tornar a nossa boca grande ou para nos dar orelhas de cão) ou outro tipo de efeitos que nos habitámos a ver em aplicações como o Snapchat, Instagram e Facebook.

Ao contrário do Vine original, os utilizadores não estarão limitados ao formato quadrado e deverão poder trocar entre a câmara frontal e a traseira enquanto filmam.

Mais detalhes em breve

O feed onde os utilizadores do V2 poderão ver os vídeos das contas que seguem será cronológico, diz Hofmann, mas existirá um outro, algorítmico, para mostrar conteúdo popular ou que o utilizador pode achar interessante. O responsável pelo produto promete um cuidado especial nos vídeos que poderão ser partilhados no Vine, para garantir que são respeitados todos os direitos autoriais no que toca a músicas ou conteúdos audiovisuais, bem como manter uma comunidade saudável na aplicação, evitando comentários de ódio e discussões abusivas — Hofmann prevê usar a força da comunidade na marcação de conteúdos e comentários inapropriados mas afirma ter estipulado a criação de uma equipa de moderação humana encarregue do V2.

Uma versão do protótipo em teste (foto via Twitter)

Dom Hofmann diz ainda estar a estudar formas de os criadores de conteúdos que venham a apostar no V2 monetizarem esses conteúdos, podendo ganhar dinheiro também nesta plataform, algo que tornou Youtube e Twitch em grandes atractivos. Podes acompanhar os próximos passos do V2 na conta @v2app no Twitter e nos fóruns disponíveis em v2.co.