Um projecto onde o demolido pode ser reutilizado

O Repositório de Materiais é um projecto que reutiliza materiais provenientes de obras de demolição/reabilitação com potencial de reutilização.

Foto via Repositório de Materiais (DR)

O objectivo é aproveitar os materiais bons que resultam de obras de construção ou de demolição, evitando que os mesmos sejam considerados desperdício. O Repositório de Materiais é uma plataforma online, da autoria da arquitecta Cláudia Cardoso, que pretende reunir esses restos que resultam das obras e valorizá-los noutros projectos.

Desenvolvido no Porto, no ceio do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade Porto (UPTEC), o Repositório de Materiais é um projecto que reutiliza materiais provenientes de obras de demolição/reabilitação com potencial de reutilização. “Observa-se na sociedade actual uma cultura de desperdício, sendo o sector da construção um grande responsável na produção de resíduos. Procura-se encarar esta situação não como um problema, mas como uma oportunidade de mudança, lê-se no site da iniciativa.

A ideia é, assim, promover uma economia circular no sector da construção. Nesse sentido, o Repósitório de Materiais disponibiliza um catálogo online de peças, algumas delas preciosidades artísticas, algumas dos séculos XIX e XX, que podem ser adquiridas e utilizadas em obras. É um mapeamento de materiais reutilizáveis e dos locais onde estes se encontram guardados, ajudando quem procura estes materiais a encontrá-los.

Foto via Repositório de Materiais (DR)

Estão disponíveis na plataforma materiais provenientes de encerramento de vãos (portas, portadas, janelas e bandeiras de madeira maciça), estruturais e acabamento (materiais pétreos e clarabóias), e ferragens e acessórios (gradeamentos, balaústres, fechaduras, dobradiças, maçanetas, aldrabas, puxadores e torneiras). Equipamentos como bancadas de pedra e sanitários, revestimento exterior e impermeabilização (azulejos, soletas de ardósia, telhas e vidro), bem como revestimento interior (soalho e mosaicos) e elementos decorativos, são outros exemplos.

Para além deste catálogo, o projecto quer mesmo criar uma Rede de Repositórios de Materiais de Construção, da qual “podem fazer parte municípios e empresas de construção e/ou demolição, entre outras”, procurando, para tal, o estabelecimento de parcerias.

O Repositório de Materiais tem vindo a ser reconhecido por diversas entidades, tendo já sido referenciado como exemplo no Plano de Acção para a Economia Circular em Portugal [2017-2020] do Ministério do Ambiente. O projecto da arquitecta Cláudia Cardoso procura corresponder à meta europeia para 2020 de 70% de preparação para a reutilização, reciclagem e valorização de Resíduos da Construção e Demolição (RCD).

Apesar de ter começado no Norte de Portugal, o Repositório de Materiais já tem armazéns parceiros em Lisboa e pretender alargar o seu âmbito de actuação para cobrir todo o território nacional. Esta é uma iniciativa especialmente direccionada para arquitectos, decoradores, designers de interiores, empresas de construção e demolição e municípios.