Memórias d’Outro Alentejo: uma curta produzida por 5 alunos de Beja

Grupo foi ao Reddit recolher algum feedback positivo. E conseguiu.

Ah, sim, o Alentejo. O Alentejo das planícies sem fim e dos pores-de-sol cinematográficos. O Alentejo da seca e sem vida. O Alentejo dos campos de trigo e das pastagens. O Alentejo de hoje e o Alentejo das memórias.

Cinco alunos da Escola Superior de Educação do IPB (Instituto Politécnico de Beja) juntaram-se para fazer uma pequena curta sobre a região onde estudam. “Memórias d’Outro Alentejo” é uma revisita ao Alentejo de outrora e um convite a questionar a sua actual identidade. Onde estão os pais e avós a cuidar da terra?

Um trabalho com realização de Tiago Viegas (que também deu a voz), fotografia de Bernardo Coelho e Tiago Páscoa, produção de Bruno Baltazar e edição de Pedro Marques, feito no âmbito da cadeira de Linguagem Audiovisual e Operação de Câmara do curso de Som e Imagem. No Reddit, onde recolheram algum feedback, dizem que fizeram o vídeo em três dias.

“Como o nosso foco principal do vídeo foi os tempos de seca que o Alentejo sofreu recentemente, decidimos mencionar o passado numa luz mais positiva dado ao facto que antigamente, não existia este problema (pelo menos, não de maneira tão severa)”, comentou Pedro Marques naquele fórum.

Entre os apontamentos que Pedro e os colegas receberam da comunidade do Reddit, estiveram críticas à fraca luminosidade em algumas partes“quando estava a calibrar os níveis, não tive em conta que o meu monitor capta os pretos quase como se fossem cinzento” – , à pouca originalidade na banda sonora“foi uma decisão consensual, apesar de concordarmos que realmente é um estilo bastante utilizado” – ou a imagem tremida“o software que estava a usar para estabilizar a imagem não estava a ter os resultados que queria em maior parte dos planos”.

No Reddit, houve também espaço para feedback de um alentejano:

Sendo Alentejano, este vídeo não me poderia deixar de tocar, e também não posso deixar de dar os parabéns. No entanto, gostaria de fazer uma observação: estamos hoje a assistir a um renascimento do Alentejo, que já não é aquele da minha infância, mas que é um Alentejo mais vibrante, interessante, e que alia a tradição a conceitos de modernização que andaram durante demasiados anos afastados.

No final, Pedro agradeceu o feedback e prometeu usá-lo em projectos futuros. Como curiosidade final, a câmara utilizada foi a nova GH5 da Panasonic.