Filme-concerto de John Parish e dois documentários sobre Hip Hop no IndieLisboa

John Parish vai apresentar Screenplay pela primeira vez no Porto e em Lisboa. Um filme-concerto integrado na programação do IndieLisboa 2018.

IndieLisboa filmes
John Paris à esquerda; o documentário Hip To Da Hop à direita

O IndieLisboa, em colaboração com a Culturgest, e o Hard Club apresentam pela primeira vez em Portugal Screenplay, projecto do músico John Parish. O filme-concerto acontece no Hard Club, no Porto, dia 3 de Maio, às 21h30, e no Grande Auditório da Culturgest, em Lisboa, no dia 4 de Maio, às 21h30, integrado na programação do IndieLisboa.

Screenplay é um álbum e um concerto do aclamado compositor, músico e produtor John Parish, habitual colaborador de PJ Harvey, mas também conhecido pelo seu trabalho com Eels, Giant Sand, Rokia Traoré ou Aldous Harding (de quem produziu o seu álbum de estreia Party, considerado um dos melhores de 2017), entre outros. O concerto apresenta Parish, juntamente com os músicos Marta Collica, Giorgia Poli, Jean-Marc Butty e Jeremy Hogg, e uma projecção de excertos de filmes, alguns deles com uma íntima ligação à história da programação do IndieLisboa. Esses filmes serão:

  • L’enfant d’en haut (Ursula Meier, 2012)
  • Little Black Spiders (Patrice Toye, 2012)
  • The Farmer’s Wife (Francis Lee, 2012)
  • She, a Chinese (Xiaolu Guo, 2009)
  • Plein sud (Sebastien Lifshitz, 2009)
  • Nowhere Man (Patrice Toye, 2008)
  • Waltz (Norbert Ter Hall, 2006)
  • Water (Jennifer Houlton, 2004)
  • Rosie (Patrice Toye, 1998)

John Parish compõe para cinema, teatro e dança contemporânea desde o final dos anos 1990. Foi o autor da música de inúmeros filmes, entre os quais Rosie (Patrice Toye, 1998), pelo qual recebeu o Prémio Especial do Júri na Bienal de Bona de Música para Cinema e Televisão. Compôs ainda a música de L’enfant d’en haut (Ursula Meier), filme vencedor do Urso de Prata da Berlinale em 2012. Os bilhetes para o filme-concerto estão disponíveis nas duas salas e na Ticketline por 15 euros.

Hip Hop na programação do IndieLisboa

A história da música e do cinema também se conta em português no IndieMusic e duas das grandes surpresas reservadas para 2018 podem desde já ser desvendadas. O festival vai apresentar Hip To Da Hop, de António Freitas e Fábio Silva, um documento filmado de norte a sul de Portugal com o intuito de compreender uma cultura que se afirmou através da música, da pintura e da dança no mundo inteiro. Ouviremos as histórias de Mundo Segundo, Ace, Odeith, Bambino, Nomen, Chullage, Orelha Negra, DJ X-Acto, YouthOne, NBC, Exas, Slow J, DJ Ride, Stereossauro, Bdjoy, TNT, Sanryse, Robinho, Sensei D e SãoOneArt, entre outras.

O passado e o presente da música portuguesa estão também no centro de Não Consegues Criar O Mundo Duas Vezes, de Catarina David e Francisco Noronha. No filme revisita-se a memória do rap do Porto: uma viagem no tempo pela cidade, os seus lugares e as suas gentes, desde o final dos anos 1980 e 1990 até hoje. O documentário tem as vozes de Dealema (Maze, Mundo, Expeão, Fuse e Guze), Mind da Gap (Ace, Presto e Serial), L.C.R. (Nocas e Berna), Triângulo Dourado, Conjunto Corona (dB e Logos), Capicua, M7, Virtus, Deau e Minus, entre outros.

As duas sessões terão o seu espelho no IndiebyNight, programação de concertos e festas do festival, em diálogo directo com os filmes apresentados, em noites certamente inesquecíveis. Mas essas surpresas ficarão para mais tarde, como a programação completa da secção IndieMusic a ser revelada no dia 26 de Fevereiro.