Francesa Altice põe ponto final no MEO Music, o “Spotify português”

O serviço de streaming MEO Music deixará de estar disponível a partir de 28 de Fevereiro.

Foi desenvolvido pela empresa portuguesa NMusic para o MEO e agora será descontinuado. A Altice, grupo francês que detém a operadora portuguesa, anunciou o fim do MEO Music no final deste mês de Fevereiro, tendo revelado a sua substituição por “um conjunto de serviços para que continue a aceder a conteúdos de música”.

Lançado em 2010, o MEO Music apresentava um catálogo de mais de 30 milhões de músicas e um milhão de videoclipes para ver ou ouvir em streaming no computador, tablet, telemóvel e televisão – sem limites ou interrupções publicitárias. Custava 6,99 euros/mês para pessoas que não pertencessem à rede MEO, apresentando uma mensalidade gratuita ou de 4,99 euros para clientes da operadora, consoante o tarifário. Clientes móvel MEO e Moche tinham tráfego gratuito na app do MEO Music, uma vantagem competitiva do serviço relativamente aos concorrentes Spotify, Apple Music e outros, que entretanto chegaram a Portugal.

A Altice comunicou o fim do MEO Music num e-mail enviado aos seus clientes, no qual explica que clientes que sejam utilizadores do MEO Music ou tenham o serviço incluído no seu pacote ou tarifário poderão beneficiar, a partir de 26 de Fevereiro, de um “um conjunto de serviços para que continue a aceder a conteúdos de música”. No mesmo e-mail, o grupo direcciona os utilizadores para um link, onde, à data deste artigo, ainda não foram disponibilizados mais detalhes.

Especula-se se a Altice/MEO possa assinar uma parceria com o Spotify ou o Apple Music, como fizeram outras operadoras, nomeadamente a NOS e a Vodafone. Por exemplo, o tarifário WTF da NOS inclui 5 GB de tráfego na app do Spotify, enquanto que a Yorn da Vodafone está a oferecer pelo menos 3 meses grátis do serviço de streaming da Apple. Contudo, a Altice é proprietária de um serviço próprio de música – o Altice Music está disponível na República Dominicana, um dos muitos mercados em que actua o grupo do francês.

No fórum do MEO, um utilizador avança que o MEO Music será substituído com uma oferta de 3 meses do Deezer, um serviço de streaming de música que nasceu em França. O detalhe do Deezer aparece ainda noutra imagem divulgada noutro fórum, o Zwame.

Sem número de utilizadores divulgado, sabe-se apenas que o MEO Music terá tido entre 1 e 5 milhões de downloads nas lojas digitais de apps, onde, aliás, esteve várias vezes em destaque e com recomendações positivas por parte dos utilizadores. Em 2014, a aplicação foi distinguida como “Melhor Site/App Mobile” nos Prémios ACEPI Navegantes XXI.

O MEO Music é uma das muitas “máscaras” que o serviço de streaming da NMusic recebe. Esta empresa portuguesa, reconhecida internacionalmente como um exemplo de excelência pela capacidade tecnológica e qualidade na gestão de conteúdos de música, não desenvolve uma plataforma de streaming que chegue directamente ao consumidor. Pelo meio, estão parceiros responsável pelo produto final e pela comercialização do serviço. Em Portugal, era MEO Music; na Nigéria, é Zyng; e em alguns países do Médio Oriente, é Sultn.