David Lynch lançou um livro de “nudes”

E é obviamente tão misterioso como seria de esperar.
Fotografia de David Lynch

David Lynch fez currículo a explorar a nudez das maneiras mais perturbadoras, fascinantes e geniais – de Isabella Rossellini, de pé, nua no seu pátio para retratar a sua mentalidade vulnerável no filme de 1986, Blue Velvet, àquela cena de sexo entre Naomi Watts e Laura Harring em Mulholland Drive.

Mais recentemente, naquilo que parece ser uma compilação de todas as suas ideias sobre a nudez, lançou “Nudes”, uma publicação fotográfica com imagens da sua autoria, editada em Janeiro. A justificação? “Eu gosto de fotografar mulheres nuas. A infinita variedade do corpo humano é fascinante: é incrível e mágico ver como as mulheres são diferentes.”

Não é a primeira vez que o realizador mostra o seu trabalho fotográfico. Em 2007, o artista exibiu sua exposição interactiva This Air Is on Fire, na Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, em Paris. Tratou-se de uma retrospectiva que explorou temas da sua infância, adolescência e vida adulta. Uma década depois, será a mesma Fundação Cartier a publicar este novo livro.

“Nudes” apresenta mais de 100 imagens de nus femininos, a cor e a preto e branco, todas capturadas pelo próprio artista. O comunicado de imprensa que acompanha o livro refere que as fotografias: “atestam o fascínio de David Lynch pela infinita variedade do corpo humano, ao mesmo tempo que está em linha com o seu trabalho cinematográfico”.

Como se podia esperar, as fotos são uma masterclass em mistério e erotismo. Das imagens que entretanto surgiram na web, destaca-se o estudo monocromático e fechado das pernas cruzadas de várias mulheres, os ângulos incomuns que oferecem uma visão abstracta e caleidoscópica de feições marcadas ou membros entrelaçados. Como tudo aquilo em que Lynch toca, está em jogo uma certa mística poética- o tipo de poemas que seduzem e intrigam infinitamente. Uma espécie de curadoria de Lynch daquilo que é a tal “infinita variedade do corpo humano”, vista através da sua lente esotérica.

Fotografia de David Lynch
Fotografia de David Lynch
Fotografia de David Lynch
Fotografia de David Lynch
Fotografia de David Lynch
Fotografia de David Lynch
Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • A Rita Pinto é Editora-Chefe do Shifter. Estudou Jornalismo, Comunicação, Televisão e Cinema e está no Shifter desde o primeiro dia - passou pela SIC, pela Austrália, mas nunca se foi embora de verdade. Ajuda a pôr os pontos nos is e escreve sobre o mundo, sobretudo cultura e política.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt