O Cinema São Jorge anda a fazer filmes… no Twitter

O tom é de humor e as intervenções são sobre aquilo que está a acontecer, no momento – tal como deve ser uma presença no Twitter.

O Cinema São Jorge faz parte das salas de espectáculos mais emblemáticas da cidade de Lisboa. Algumas das nossas nossas que envolvem filmes, teatro, concertos e até festivais de música estão relacionadas com o São Jorge. Recentemente, o Cinema decidiu “invadir” a rede social Twitter e só podemos dizer que “tem sido com cada filme”. O tom é de humor e as intervenções são sobre aquilo que está a acontecer, no momento – tal como deve ser uma presença no Twitter.

A rede do passarinho Larry pergunta “o que está a acontecer?”. E o Cinema São Jorge intervém com conteúdos (imagem e copy) relacionados com o cinema em si e que nos ajudam a fazer uma outra leitura da realidade. Na sua biografia afirma-se como “sala de cinema em Lisboa, com 68 anos de história e um futuro que há-de ser projetado frame a frame”.

Curiosos com esta conta, resolvemos enviar uma DM (Mensagem Directa) à conta a solicitar a colaboração na resposta a algumas perguntas. A Marina Uva, directora do São Jorge, acedeu ao nosso pedido e trocámos e-mails. Eis as perguntas e respostas, sobre esta conta instituição que anda a (re)escrever argumentos, ali na rede do lado.

O que levou o Cinema São Jorge a marcar presença numa rede social como o Twitter?

Nos dias que correm, é fundamental ter uma presença online em várias plataformas e o Twitter não é excepção. Até pela sua capacidade de expansão, que parece estar menos ameaçada do que a do Facebook, por exemplo, onde aliás também mantemos presença há muito tempo.

Como tem sido o crescimento da conta, desde o seu primeiro tweet?

O crescimento tem sido bastante positivo, quase em progressão geométrica, pelo menos se atendermos às nossas expectativas. Arrancámos com a conta no dia 5 de Janeiro e passado um mês temos cerca de 2000 seguidores. Achamos que é um óptimo resultado e que há margem para chegar a mais gente. Logo, a mais espectadores.

Olhando para o perfil (tanto os tweets como as respostas), é evidente a actuação em tempo real, por parte da conta. Como é organizado o vosso plano de conteúdos?

Não temos grelha/planificação muito rígida. Há informações que queremos passar sobre as nossas actividades, na ordem das duas ou três por dia, e estas acabam por ser entremeadas com tweets que reportam ao quotidiano e que afastam a conta de uma postura meramente informativa. É uma forma de tentar marcar a diferença e de criar laços com os assuntos que nos permitam chegar a mais utilizadores.

É possível facultar alguns dados sobre a conta, à data de resposta desta entrevista? Nos últimos 28 dias, qual foi a taxa de engajamento? Qual é a interacção mais bem sucedida: o Gosto ou a Partilha (retweet/RT)?

Neste momento, a taxa de engajamento é de 3,1%. Em termos de interacção, o Gosto leva a melhor de uma maneira geral.

Considera recorrer aos anúncios, no Twitter, para divulgar a conta ou o conteúdo? Qual o motivo para tal opção?

Até agora não considerámos essa opção, em linha com o que temos seguido noutras redes. Estamos a tentar criar um crescimento orgânico que complemente a visibilidade que o cinema já tem. Apesar de ser uma marca, sobretudo a nível da cidade, preferimos utilizar o que é disponibilizado de forma graciosa por estas ferramentas, evitando uma postura de “anunciante”. Legítima noutros contextos, mas fora do nosso posicionamento neste momento.

De que forma foi comunicada a presença do Cinema São Jorge, no Twitter, noutras plataformas e/ou canais de comunicação?

A presença no Twitter foi assinalada na newsletter regular que enviamos à imprensa e espectadores.

Quais são os objectivos, enquanto “marca” que tem presença no Twitter?

De uma maneira geral, queremos aumentar a notoriedade do São Jorge, da sua programação e do serviço público que prestamos à cidade. Sendo uma ferramenta que pode permitir chegar com rapidez a um público mais vasto, acabamos por apostar numa presença constante e com algum tom de desafio. Acresce o facto de o uso do Twitter – e de outras plataformas do género – permitir uma certa frescura no discurso e um posicionamento mais alinhado com o Zeitgeist, digamos assim. No fundo, queremos criar ou reforçar uma perceção de modernidade e associá-la a um equipamento que tem um peso histórico. Um peso de que nos orgulhamos mas no qual o Cinema São Jorge e a sua programação de referência e experimentação não se esgotam.

Qual foi o tweet mais bem sucedido, até agora?

Foi o tweet “Como assim, apanhado a comer num kebab em Lisboa?”, no qual utilizámos uma imagem do filme American History X. Nesse dia, um post partilhado por um político tornou-se viral e a colagem que fizemos ao tema foi decisiva para conseguirmos mais retweets e notoriedade. 17 979 impressões, 13,1% de engajamento e, muitos outros posts depois, estamos aqui a responder às vossas questões.

É ir ao Twitter, procurar a conta @CinemaSaoJorge, seguir, retweetar, responder ou deixar um Coração se o conteúdo for “gostável”.