Chloe Kim: medalha de ouro aos 17 anos, entre o “sonho americano” e a Coreia do Sul

Chloe Kim foi qualificada para os Jogos Olímpicos de Inverno, pela primeira vez, com 13 anos.

Chloe Kim via Twitter

“A actual melhor atleta de halfpipe do mundo”. Foi assim que Tom Monterosso, editor da revista Snowboarder Magazine, descreveu Chloe Kim, vencedora norte-americana da medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, na modalidade halfpipe de snowboard. Com apenas 17 anos, combina a rapidez de Shaun White e a essência de Kelly Clark, ambos campeões olímpicos, assegura Rick Bower, treinador da equipa de snowboard norte-americana, ao The New York Times.

O reconhecimento de Kim nesta modalidade é-lhe apontado desde os 13 anos, quando foi qualificada para as Olimpíadas de Sochi, na Rússia, em 2014. Na altura, devido ao facto de a idade mínima para participação na prova se estabelecer nos 15, Chloe Kim não seguiu na competição.

Antes de vencer a medalha de ouro, esta terça-feira, com 98,25 pontos em 100, Kim tinha já assegurado os títulos de atleta mais jovem a receber uma medalha nos X Games e primeira atleta, com menos de 16 anos, a arrecadar três medalhas nesta mesma competição. Também nos X Games conseguiu alcançar os (tao raramente dados) 100 pontos.

Chloe Kim foi ainda apontada pela revista Time como uma das 30 jovens mais influentes do mundo, por três vezes; foi campeã, por duas vezes, na U.S. Open Halfpipe e conta com duas medalhas de ouro ganhas nos jogos olímpicos juvenis de Inverno de 2016.

Ainda em 2016, com 15 anos, sagrou-se a primeira atleta numa competição internacional a aterrar na perfeição com a manobra back-to-back 1080 degree, feito que voltou a repetir em PyeongChang 2018. A dita manobra consiste na execução de três rotações completas e seguidas, tanto do lado esquerdo como do lado direito da parede, durante a corrida.

O percurso de Cloe Kim no Snowboard começou aos quatro anos, quando fez as primeiras corridas acompanhada pelo pai, Jong Kim. A vitória mais recente de Kim é particularmente interessante para a família da vencedora, já que os pais, de origem sul-coreana, emigraram para os Estados Unidos, em 1982, em busca do “sonho americano”, que acreditam se ter realizado com a medalha de ouro. “Estou muito feliz, concretizei um sonho de criança. Significa muito para mim alcançá-lo no sítio de onde a minha família é natural”, afirmou Chloe Kim, no final da prova.

Previous Francesa Altice põe ponto final no MEO Music, o “Spotify português”
Next Dois amigos criaram um jogo Android para adivinhar o preço certo no OLX