Björk cancela concerto em Paredes de Coura

Esta não é a primeira vez que Björk cancela uma actuação em Portugal. Fê-lo em 2012 quando esteve confirmada para o Optimus Primavera Sound, no Porto.

Inaugurou o cartaz da edição 2018 do Vodafone Paredes de Coura, mas o sonho de ter Björk de novo em Portugal não se vai realizar – pelo menos, para já. A artista islandesa foi obrigada a fazer alterações à sua digressão europeia, que teria passagem pelo festival minhoto, devido a “razões logísticas imprevistas”.

“Devido a razões logísticas imprevistas, a Björk é infelizmente forçada a fazer mudanças na próxima digressão no Verão. A performance da Björk em Paredes de Coura, em Portugal, não irá acontecer”, lê-se num comunicado oficial da artista, enviado às redacções pela Ritmos, promotora do Vodafone Paredes de Coura. A Ritmos adianta ainda, na mesma nota, que o novo cabeça-de-cartaz para o último dia da edição deste ano do festival será anunciado em breve.

Esta não é a primeira vez que Björk cancela uma actuação em Portugal. Fê-lo em 2012 quando esteve confirmada para o Optimus Primavera Sound, no Porto. A última vez que Björk esteve em Portugal foi em 2008 no festival Sudoeste TMN, na Zambujeira do Mar. Tocou também em 2003 no Festival Hype@Meco e em 1996 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

A curiosidade quase obsessiva por diferentes texturas musicais caracteriza a carreira da islandesa desde o seu início e faz dela uma das artistas mais influentes das últimas décadas. Um ser musical raro, original, com uma capacidade apelativa fora de série. Björk foi uma das novas vozes da pop “estranha” e é ela que continua a fazer arte com ruídos, dissonâncias e ritmos que vão de flautas e pássaros a barulhos industriais e arranjos híbridos.

O regresso de Björk ao nosso país era aguardado com alguma expectativa; bastou ver todo o hype nas redes sociais em torno da confirmação para o Vodafone Paredes de Coura. João Carvalho, dono da Ritmos, até chegou a escrever no seu perfil no Facebook: “Era um sonho antigo. Chegou a hora.”