Quando programação e design chocam, explodem criativamente

Algoritmos, interactividade e realidade aumentada são conceitos cada vez mais comuns no mundo do design. E estes criadores prova-no.

No princípio, era o tipo – popularizado pelo incontornável Johannes Gutterberg –, mas agora são mais que muitas as formas de impressão de uma determinada mensagem numa determinada superfície. E, se, no que toca a deixar uma marca real e indelével, a evolução pode não ser muito notória nem expectável, no que toca ao cruzamento marcante entre realidades, o caso pode ser bem diferente.

A realidade aumentada pretende ser percepcionada como isso mesmo – a adição de uma camada de significado ao mundo real. E alguns estúdios de design estão a mostrar-nos como isso pode funcionar e até ser mais do que um recurso de estilo, ou seja, ter utilidade prática nos contextos certos. Para além disso e, numa alusão mais democrática, também a programação de gráficos está a revolucionar o design.

Algoritmos, interactividade e realidade aumentada são por isso conceitos cada vez mais comuns no mundo do design. Em Portugal, temos alguns pioneiros, como é o caso do profícuo Royal Studio, mas hoje falamos de quem internacionalmente se tem destacado. Em particular de três nomes: Dia Studio, Zach Lieberman, Joshua Davies. Exemplos paradigmáticos e inspiradores que cruzam design e tecnologia.

Dia Studio

Os Dia Studio são um colectivo de Brooklyn, Nova Iorque, e um dos estúdios a dar mais provas de que o código pode dar uma nova vida ao trabalho de design. Desde a criação de logótipos interactivos a simples mensagens de bons dias simuladas sobre as ruas da cidade de Nova Iorque, o seu trabalho mostra como, com alguma (muita) técnica de programação, se pode ganhar espaço para a elegância do design sem perder relevância.

We were snowed in today due to some serious B O M B O G E N E S I S from winter storm Greyson and caught a typographic cyclone out the window. "Explosive cyclogenesis (also referred to as a weather bomb, meteorological bomb,explosive development, or bombogenesis) refers in a strict sense to a rapidly deepening extratropical cyclonic low-pressure area. To enter this category, the central pressure of a depression at 60° latitude is required to decrease by 24 mb (hPa) or more in 24 hours. This is a predominantly maritime, winter event, but also occurs in continental settings. This process is the extratropical equivalent of the tropical rapid deepening." -wikipedia #kinetictype #bombogenesis #design #typography #AR #type #motion #motiontype #graphicdesign #motiongraphics #instagram #instadesign #font #3d

A post shared by DIA (@dia_studio) on

Zach Liebermann

Zach Liebermann trabalha uma vertente mais experimental, mas nem por isso menos interessante do ponto de vista prático. Autor de projectos como o EyeWriter – uma ferramenta de baixo custo e código aberto que permite desenhar com os olhos –, divide o seu tempo entre este tipo de investigação mais aprofundado e experiências aleatórias que vai partilhando no seu Instagram.

Another color test #openframeworks

A post shared by zach lieberman (@zach.lieberman) on

Love twist stack #openframeworks

A post shared by zach lieberman (@zach.lieberman) on

Upset? #openframeworks

A post shared by zach lieberman (@zach.lieberman) on

Lots of eyes #openframeworks

A post shared by zach lieberman (@zach.lieberman) on

Joshua Davis

Joshua Davis pode ser considerado um exemplo mais clássico. Mais vezes mencionado e a trabalhar em projectos de maior envergadura, recorre à mistura entre código e design para gerar intrincados padrões dinâmicos capazes de reagir, por exemplo, ao som, e de atingir um nível de complexidade e aleatoriedade difícil de replicar à mão humana.

Estes são exemplos ilustrativos e devem ser observados não necessariamente como o melhor protótipo à data da utilização de determinado processo, mas sim como ousados investigadores das possibilidades abertas pelas novas formas de estar e comunicar de todos nós nos mais diversos contextos.