Orcas reproduzem sons humanos pela primeira vez

Apresentamos-te a Wikie, a primeira orca capaz de imitar sons humanos. O estudo indica que as orcas são capazes de imitar o discurso humano e copiar sons desconhecidos, produzidos por outras orcas, golfinhos ou leões-marinhos.

Wikie

Que alguns dos mamíferos marinhos como os golfinhos e as baleias têm uma grande capacidade comunicativa entre eles já nós sabíamos. Contudo, e se te disséssemos que a Wikie, uma orca que vive em cativeiro na França, consegue imitar palavras do nosso quotidiano?

A Universidade de St. Andrews, na Escócia, está a fazer um estudo sobre a comunicação de animais entre si. Apesar da imitação de palavras ser um factor comum por exemplo nos papagaios, “nos mamíferos isso é muito raro, explica Josep Call, um dos investigadores.

Wikie consegue imitar algumas palavras que a treinadora lhe diz através do controlo da pressão no orifício (semelhante às narinas) que as orcas usam para respirar e expelir água. Por outras palavras, Wikie “fala” à superfície, uma vez que os sons debaixo de água são totalmente diferentes.

“A orca que estudámos foi capaz de aprender a vocalização de sons humanos, ao imitá-los”, defende Call.

O treino começou com os investigadores a ensinar Wikie a obedecer a um sinal com o valor de repetição, utilizado por exemplo para levar o animal a imitar outras baleias em actividades como a projecção de água para o ar. A equipa explica que a orca Wikie respondia aos estímulos através de “sons que correspondiam toscamente aos que tinha sido levada a copiar”. Alguns exercícios foram repetidos 17 vezes, mas para quatro deles chegou a primeira tentativa: “olá”, “adeus” e “1, 2, 3”.“Julgo que temos aqui a primeira evidência de que as orcas podem aprender novos sons pela imitação vocal, e isso é algo que poderia ser a base dos dialetos que observamos na natureza”, afirma Call.

Considerada a baleia assassina por ser um temível predador, as orcas revelaram-se pioneiras no seu habitat ao vocalizar palavras com base na imitação. Esta facilidade de aprendizagem advém do facto de viver em grupos, cada um com um dialecto próprio, revelando-se a interiorização e posterior vocalização de novos sons um factor fulcral para a sua sobrevivência.

“Quando se trata de imitar o discurso humano, os papagaios são as superestrelas do mundo animal, mas a orca Wikie não lhes fica muito atrás”, escreve a revista “Science Magazine” referindo a “baleia assassina” de 14 anos demonstrou as suas capacidades vocais imitando as instruções dadas pelos treinadores. Em declarações ao The Guardian, Call, co-autor do estudo, explica que quiseram explorar sons fora do repertório da espécie marinha: “Queríamos ver o quão flexível é a orca na reprodução de sons”

Wikie consegue pronunciar “hello”, “bye”, “Amy” e “1,2,3”“Olá não é o que uma baleia assassina diria”. Os detalhes do estudo foram publicados na revista científica Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, e conta com a colaboração de investigadores da Alemanha, Reino Unido, Espanha e Chile.

O estudo indica que as orcas são capazes de imitar o discurso humano e que conseguem copiar sons desconhecidos produzidos por outras orcas, ou até mesmo outras espécies de golfinhos e leões-marinhos. Uma das ideias mais interessantes que se extrai deste estudo é a de que a orca já era familiar com o processo de imitação de comportamento e de cópia de sons.

“Os humanos são obviamente bons nisso. Curiosamente, os outros mamíferos que produzem estes sons são marinhos.”