H&M e a mãe da criança responderam à controvérsia do “macaco”

Marca sueca pede desculpa, mãe fala em discussão "desnecessária".

Uma fotografia com uma criança negra a vestir uma camisola com a expressão “o macaco mais fixe da selva” causou a indignação de muitos nas redes sociais, incluindo de figuras bem conhecidas como o músico The Weeknd ou o basquetebolista LeBron James. A H&M emitiu um novo pedido de desculpas e a mãe do rapaz visado na campanha fala em controvérsia “desnecessária”.

“Lamentamos profundamente que a foto tenha sido tirada”, escreveu a H&M numa publicação no Instagram, feita já depois do artigo do Shifter. “Por isso, não só removemos a imagem dos nossos canais, mas também a peça de roupa da nossa oferta de produtos globalmente”, acrescentou a marca sueca. É óbvio que os nossos processos não foram seguidos corretamente. Não há qualquer dúvida quanto a isto. Vamos investigar minuciosamente o porquê de isto ter acontecido para evitar que (…) ocorra novamente.”

Anteriormente, em declarações enviadas pelas suas equipas de relações públicas às redacções, a H&M já tinha referido compreender as reacções à imagem e concordar com elas. Quanto a The Weeknd, que colaborou com a marca no lançamento de duas colecções em 2017 e que disse não querer trabalhar mais com ela, a H&M referiu, ao Business Insider, que “vai continuar a dialogar” com o músico e a sua equipa “em separado”.

Segundo o Quartz, a H&M não foi eficaz a resolver esta questão, tendo removido o produto somente em alguns mercados, e emitido pedidos de desculpa que soaram a falsos/insuficientes. A mensagem publicada no Instagram no dia 9 de Janeiro, acompanhada de uma nota mais longa enviada às redacções, parece ter colocado, por fim, um ponto final na polémica. “Concordamos com todas as críticas que esta situação gerou – errámos e concordamos que mesmo o racismo involuntário, passivo ou casual precisa de ser erradicado onde quer que ele exista. Agradecemos o apoio daqueles que viram que nosso produto e promoção não pretendiam ofender, mas, como marca global, temos a responsabilidade de estar cientes de todas as sensibilidades raciais e culturais – e não assumimos esta responsabilidade desta vez”, acrescentou a empresa.

Também a mãe da criança que aparece imagem publicitária terá reagido ao assunto. Numa série de comentários no Facebook que terão sido já eliminados pela própria, Terry Mango diz que o seu filho já serviu de modelo em várias imagens (cujas sessões fotográficas diz acompanhar) e classifica esta controvérsia de “desnecessária”., acrescentando: “Não compreendo mesmo, não porque escolho não o fazer, mas porque não é a minha forma de pensar.”