Inteligência artificial utilizada pela Google e NASA para descobrir exoplanetas distantes

Graças à aprendizagem automática, foram detectados dois planetas num sistema de oito.

A pesquisa de exoplanetas é uma tarefa que consome bastante tempo, essencialmente por envolver muitos dados. Por isso, a inteligência artificial pode dar uma ajuda, automatizando processos e facilitando a vida aos investigadores. Foi o que fizeram a NASA e a Google, colaborando para na descoberta de um um sistema planetário com 8 planetas a orbitar uma estrela.

Um exoplaneta é detectado observando quando a luz de uma estrela escurece temporariamente à medida que um exoplaneta passa entre a Terra e essa estrela. A sonda Kepler é quem faz essa observação, tendo nos últimos anos fotografado a cada 30 minutos uma determinada e diferente parte do Espaço. Dessas imagens resultaram  milhares de milhões de dados onde as hipóteses desse fenómeno se verificar são muitas.

Chris Shallue, um investigador de inteligência artificial da Google, e Andrew Vanderburg, um astrofísico da Universidade de Austin, treinaram um sistema de aprendizagem automática para identificar possíveis exoplanetas, utilizando, para tal, os dados da Kepler, isto é, os momentos em que a sonda detectou exoplanetas e quando esta detectou outros objectos. Quando testaram o sistema, os investigadores perceberam que era capaz de diferenciar correctamente os sinais de exoplanetas dos outros tipos de sinais em 96% das vezes.

 

O sistema de oito planetas, que foi possível identificar, orbita uma estrela parecida ao Sol, batizada de Kepler-9, e que fica na constelação de Draco. A inteligência artificial foi responsável pela descoberta de dois dos planetas desse sistema: o Kepler-90i é um corpo celeste rochoso, extremamente quente e 30% maior do que a Terra; já o Kepler-80g tem o mesmo tamanho que o nosso Planeta Azul.

Não foi a primeira vez que a inteligência artificial e aprendizagem automática da Google e da NASA foram usados para analisar dados recolhidos pela sonda Kepler, mas foi a primeira vez que resultou na descoberta de um mundo distante.

Previous Por uma Palestina independente, com Jerusalém como capital
Next Os primeiros nomes que vão abalar os Açores em 2018