10 minutos de meditação consciente tornam-te mais criativo

A meditação consciente mesmo em curtas sessões pode reduzir significativamente as barreiras que muitas vezes se colocam entre nós e nossos próprios recursos mentais.

Lesly Juarez/ Unsplash

Os colaboradores responsáveis pelas tarefas criativas de uma organização são os principais impulsionadores do espírito inovador e disruptivo por vezes necessários para o sucesso de uma empresa. Contudo, ambientes de trabalho agitados, fadiga e stress podem facilmente boicotar a criatividade de qualquer um.

Emma Schootstra, da Rotterdam School of Management, Universidade Erasmus (RSM) e os investigadores Evgenia Dolgova e Dirk Deichmann descobriram que uma única sessão de dez minutos de meditação consciente pode resultar em colaboradores capazes de imaginar e criar uma gama mais diversificada de soluções.

A Mindfulness, técnica similar à meditação, apresenta-se como um bom exercício para atingir esse objectivo, afirma Emma Schootstra. Em estudos anteriores, pessoas que praticavam este tipo de meditação consciente relataram menos emoções negativas e níveis de stress mais baixos após cada sessão.

Para descobrir se a atenção plena também pode tornar as pessoas mais criativas, a equipa de investigadores criou um experiência de brainstorming. Nesta experiência, todos os participantes foram convidados a apresentar o máximo de ideias de negócio, envolvendo drones, num espaço de tempo limitado. Um terço dos voluntários foi sujeito a uma sessão de meditação guiada durante 10 minutos, durante a qual ouviram instruções gravadas. Outro terço do grupo recebeu uma falsa sessão de meditação, com a instrução única “relaxe e deixe os seus pensamentos fluir livremente” por 10 minutos. E o último terço foi convidado a iniciar o brainstorming sem qualquer preparação.

Os três grupos produziram aproximadamente o mesmo número de soluções para o uso de drones mas as ideias daqueles que haviam meditado foram mais além das sugestões habituais de filmagens e entregas com recurso a drones. As suas ideias abraçaram diversas categorias, representado, em média, um aumento de 22% na diversidade, incluíndo sugestões de usos mais disruptivos como lavar janelas, apagar incêndios ou alimentar girafas.

Os resultados desta investigação mostraram ainda que os praticantes de meditação se apresentam significativamente menos inquietos, nervosos e irritados. Deste modo foi possível concluir que a meditação consciente mesmo em curtas sessões pode reduzir significativamente as barreiras que muitas vezes se colocam entre nós e nossos próprios recursos mentais.