5 formas de explicar e partilhar uma semana inesquecível

O Camp é uma experiência pela qual qualquer estudante de artes deveria passar.

Durante uma semana, uma centena de pessoas reúne-se em Abrantes, no interior centro de Portugal, para conhecer artistas da nova geração digital e descobrir novas pessoas que partilham a mesma paixão pelas artes digitais e novos media. É assim o 180 Creative Camp, um evento tão único que, por vezes, não é fácil de explicar. Mas no meio de tanta indefinição, há uma certeza: o Camp é uma experiência pela qual qualquer estudante de artes deveria passar.

Talvez a melhor forma de explicar o 180 Creative Camp seja mostrar aquilo que resultou da edição passada. Em jeito de presente de Natal, foi o que fez o Canal180, que todos os anos organiza este “campo de férias criativo”.

Três vídeos, um dicionário e uma colecção de fotografia analógica são 5 formas diferentes (e criativas) de explicar o Camp.

1 – desconhecidos que se tornam amigos

Se calhar a melhor dessas formas de explicar o 180 Creative Camp é o vídeo “Life Beyond Our Screens”, realizado e produzido pelo próprio Canal180. Com cerca de 10 minutos, este pequeno filme conta a história dos participantes da última edição do Camp: quem são e o que fazem ali. São as suas vidas além dos ecrãs, de desconhecidos que se tornaram amigos – relações que nos fazem reflectir sobre a importância pouco questionada dos encontros cara-a-cara.

2 – o festão dos Conjunto Corona

De dia, os participantes do 180 Creative Camp participam em workshops e outras actividades com os artistas convidados. À noite, divertem-se em sessões de cinema, futeboladas improvisadas e concertos com bandas e projectos musicais do panorama independente português. No último Camp, houve Surma, Holly Nothing e Cave Story. Mas foi o Conjunto Corona que o Francisco Lobo seguiu por Abrantes, numa curta cinematográfica que captou a loucura por detrás do duo do Porto composto por dB e Logos, a que se junta habitualmente o Homem do Robe e Kron Silva.

3 – o mundo dos 44Flavours

Uma das melhores coisas do 180 Creative Camp, dizem os participantes, é poder contactar com artistas experientes. Não só podem participar nos seus workshops, como almoçar com eles, ir beber jolas ao final do dia ou dar um mergulho na piscina. Ah, e dormem todos no mesmo sítio, na Pousada da Juventude, que durante uma semana é exclusiva para a malta do Camp. Duas mentes criativas – o André Martins e o Tiago Lemos – passaram uma semana em Abrantes a seguir Julio Rölle e o Sebastian Bagge, os criativos que assinam como 44Flavours.

O resultado é um pequeno documentário sobre uma grande aventura por esta cidade do interior, durante a qual são revelados artistas locais e é dada uma nova vida a lugares abandonados, enquanto ficamos a conhecer melhor a verdadeira essência desta dupla colorida de arte multimédia. O vídeo conta com a participação especial de Jeff Hamada, do site BOOOOOOM.

4 – o dicionário de Abrantes

Resultou de um dos workshops do 180 Creative Camp – foi o desafio dos designers gráficos Inês Nepomuceno e Moriz Oberberger. O Dicionário de Abrantes é uma colecção dos sentimentos dos participantes do Camp de uma cidade do interior de Portugal, que durante uma semana é dominada por uma explosão de criatividade.

5 – uma galeria analógica

Matilde Viegas foi ao Camp e produziu uma galeria de fotografia analógica, com uma atenção calorosa ao detalhe e um talento especial na produção de retratos. A sua galeria completa de fotografias podem ser encontrada aqui.

Previous Face Unlock do 5T vai chegar ao OnePlus 5 e é mais rápido que o Face ID
Next Porque é que o Apple Maps não consegue apanhar o Google Maps?