Ter um cão pode fazer-te viver mais tempo

Um estudo publicado esta semana prova que o melhor amigo do homem está associado a um risco reduzido de doença cardiovascular e morte.

À primeira vista, os benefícios de ter um cão são claros – actividade física, apoio, companheirismo, aquele amor incondicional que mais ninguém sente por ti – mas viver na companhia de um cachorro pode literalmente salvar a tua vida.

Um estudo de um grupo de investigadores suecos, publicado esta sexta-feira na revista Scientific Reports, diz que a propriedade de um cão está associada a um risco reduzido de doença cardiovascular e morte.

Para as pessoas que vivem sozinhas, ter um cão pode diminuir o risco de morte em 33% e o risco de morte relacionada com problemas cardiovasculares em 36%, em comparação com indivíduos sozinhos sem animal de estimação. A probabilidade de terem um ataque cardíaco também é 11% mais baixa, que a de quem não tem um amigo de quatro patas.

Mas os benefícios foram visíveis também em agregados familiares com cães, ainda que em menor grau.
O risco de morte entre esses donos de cães caiu 11% e a probabilidade de morte cardiovascular mostrou ser 15% menor. A iminência de um ataque cardíaco não foi reduzida.

O estudo foi feito olhando para a população sueca, analisando mais de 3,4 milhões de indivíduos com idades compreendidas entre os 40 e os 80 anos durante um período de estudo de 12 anos, mas os cientistas acreditam que as conclusões encontradas sejam replicáveis, com os devidos ajustes, por todo o mundo.

“Uma descoberta muito interessante no nosso estudo foi que a propriedade do cão é especialmente importante como um factor protetor nas pessoas que viviam sozinhas, que é um grupo relatado anteriormente como vivendo com maior risco de doenças cardiovasculares e morte do que aqueles que vivem numa casa com mais gente”, disse Mwenya Mubanga, uma das autora do estudo e professora na Universidade de Uppsala.

Uma pessoa que viva sozinha com o seu cão, é a única a andar e a interagir com o animal de estimação em oposição a casais ou famílias com crianças, e foi precisamente essa convivência que ficou provado ter repercussões directas na proteção contra doenças cardiovasculares e morte, de acordo com o estudo.

Os proprietários de cães de raças de caça, como terriers ou retrievers, estão mais protegidos das doenças cardiovasculares e da morte. No entanto, qualquer cão irá reduzir o risco de morte dos proprietários, apenas em diferentes graus.

“Nós sabemos que os donos de cães no geral têm um nível mais elevado de prática de atividade física, o que poderia ser uma explicação para os resultados observados”, disse Fall.  As conclusões sugerem também o aumento do bem-estar social e o desenvolvimento do sistema imunológico como razões adicionais pelas quais a propriedade do cão oferece proteção contra doenças de vários foros. Um dos factores por trás disso pode estar relacionado com a sujidade que os cães trazem da rua para o interior das casas, ajudando a criar uma espécie de imunidade progressiva a determinadas bactérias.

O estudo fala ainda de como o teu cão te pode ajudar a lidar melhor com o stress do dia-a-dia: “O cão pode ajudar o dono a melhorar a sua vida social, o que, por si só, reduzirá o nível de stress, o que sabemos ser absolutamente uma causa primária de doenças cardiovasculares e eventos cardíacos.”