O Firefox Quantum chegou para derrotar o Chrome

A nova versão do Firefox é mais rápida e consome 30% menos RAM que o Chrome. Quem o afirma é a Mozilla.

mozilla firefox quantum

Todos nós queremos um browser rápido e que não nos deixe o computador lento, consumindo demasiada RAM. Todas as empresas que fazem browsers vão prometendo isso, tentando convencer-nos com gráficos e números comparativos. Agora é a vez da Mozilla. A versão 57 do Mozilla Firefox chegou e não é uma versão qualquer. O browser da raposa foi repensado de uma ponta à outra para ser ridiculamente mais rápido – e melhor que o Google Chrome.

O Mozilla Firefox 57 – também baptizado de Firefox Quantum – foi desenvolvido ao longo dos últimos meses e saiu, por fim, da fase beta. A Mozilla diz que este novo Firefox Quantum é duas vezes mais rápido que o Firefox há um ano e que consume menos memória RAM – e menos 30% quando comparado com a última versão do Google Chrome. Parte do segredo é uma nova linguagem de programação que a Mozilla desenvolveu, chamada Rust, e um novo motor de CSS, que é capaz de interpretar e traduzir código CSS recorrendo a diferentes núcleos do processador em vez de concentrar todo o processo num único núcleo.

O Firefox Quantum é pensado para todo o tipo de computadores, desde máquinas 32-bits com menos de 4 GB de RAM a PCs super potentes de gaming. Quer tenhas dez separadores abertos ou cem, o novo Firefox promete rapidez e fluidez.

A Mozilla diz que o Firefox Quantum é o resultado do trabalho de mais de 700 programadores e de contributos voluntários de 80 pessoas de vários cantos do mundo. Foram modificados 75 mil ficheiros, adicionadas 5 milhões de linhas de código e modificadas outras 7 milhões. A Mozilla refere ainda que foram corrigidos 369 bugs relativos a performance e responsividade, e outros 1190 bugs ao nível de software.

A Mozilla salienta ainda o design do novo Firefox Quantum, a integração com o Pocket para guardar páginas web para mais tarde, uma nova ferramenta que permite capturar e guardar screenshots, e a integração de tecnologias como o WASM e o WebVR, a pensar no gaming e na realidade virtual. Além de tudo isso, o Firefox terá milhares de extensões e temas diferentes para os utilizadores colocarem o browser ao seu gosto. Destaque também para a Mozilla ser uma empresa sem fins lucrativos, ao contrário, por exemplo, da Google, proprietária do Chrome.

Se quiseres experimentar o Firefox Quantum, podes descarregá-lo aqui. O Firefox está igualmente disponível para iOS e Android. Em alternativa, podes usar o Firefox Focus nas plataformas móveis – isto se quiseres navegar sempre em privado.

Previous O Facebook quer ver as tuas nudes para “te proteger”
Next Uma app para exercitar... o músculo cerebral